IMPRENSA LIVRE
Evento nesta terça (8) em São Paulo protesta contra “governo de exceção”, desmonte de direitos e violência contra profissionais de comunicação
por Redação RBA. 
DIVULGAÇÃOjornalistas democracia

 São Paulo – Um ato em defesa da democracia e do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo será realizado nesta terça-feira (8), a partir das 19h, na sede da entidade, na região central da capital paulista. Segundo o sindicato, o ato tem caráter de protesto porque o país se encontra “submetido desde 2016 a um governo de exceção, com um programa de desmonte dos direitos trabalhistas e sociais, destruição do patrimônio público, abertura das fronteiras nacionais ao capital externo e hostilidade ao movimento sindical e social”.

A manifestação também marca os 81 anos da entidade, com lançamento de uma campanha que visa a reforçar a importância de um sindicato para a categoria e para o próprio exercício do jornalismo, em um cenário de “reforma” trabalhista e ataques da empresas de comunicação. “Mais do que nunca, a entidade se mostra fundamental para defender as condições de trabalho dos jornalistas, submetidas a forte pressão de precarização.”

Os jornalistas lançaram ainda outra campanha, de combate à violência aos trabalhadores do setor, “conforme deliberação da categoria em assembleia no último 12 de abril, quando foi criada uma comissão específica para debater e promover ações diante da hostilidade enfrentada pelos profissionais da comunicação devido à polarização política no país”. O Sindicato dos Jornalistas ressalta ações desenvolvidas nos últimos anos, como plantões durante  manifestações populares, assistência jurídica e parceria com a Promotoria de Direitos Humanos do Ministério Público de São Paulo, além de diálogo com o governo estadual “para cobrar mudanças na atuação da Polícia Militar”.  

Entre as presenças confirmadas, estão a cartunista Laerte Coutinho, o blogueiro Eduardo Guimarães e o professor Laurindo Lalo Leal Filho, além de jornalistas como Barbara Gancia, Breno Altman, José Arbex Jr., Laura Capriglione, Maria Inês Nassif, Paulo Moreira Leite e Paulo Salvador, coordenador da Rede Brasil Atual. Também são esperados representantes da CUT, CTB, Comissão Justiça e Paz, Grupo Tortura Nunca Mais-SP e dos sindicatos dos Artistas e dos Radialistas de São Paulo. 

O sindicato fica na Rua Rego Freitas, 530, sobreloja, Vila Buarque.

jornalistas democracia