A CORRUPÇÃO E O ESPETÁCULO DA DIVERGÊNCIA, TEXTO DE RAPHAEL SILVA FAGUNDES, NA CARTA MAIOR

Raphael Silva Fagundes *

O espetáculo, socialmente encarado, “não é um complemento ao mundo real, um adereço decorativo. É o coração da irrealidade da sociedade real”.[1] Trata-se de um fenômeno essencial no processo de manipulação que visa, por sua vez, monopolizar a nossa interpretação da realidade. Vivemos em um momento em que o espetáculo midiático se apodera desse axioma e alimenta a divisão entre “petralhas” e “coxinhas”, escondendo, propositalmente, o verdadeiro conflito: a luta de classes.
 
Contudo, o objetivo não é a divergência, embora pareça em primeira análise, mas o consenso, porque tanto o espetáculo quanto a retórica são instrumentos de unificação. O que se quer é fazer com que todos se convençam de que o verdadeiro conflito está entre esses dois grupos.
 
A rádio CBN, a folha de São Paulo, o Globo não deixam de observar tudo como um mero fla-flu. O famoso jornalista Ancelmo Gois, deu um grande destaque para o novo DVD do capixaba Gustavo Macacko que tem uma música que se trata de um romance entre uma coxinha e um petralha.[2] O mesmo jornalista anunciou um debate no Rio entre “coxinhas” e “mortadelas”.[3] As capas de jornais não cansam de colocar o ex-presidente Lula e o juiz Sérgio Moro em um ringue, dando a entender que há um conflito acirrado.
 
Mas isso é um embuste retórico. Noam Chomsky definiu de fato a verdadeira questão que foi destrinchada por Marx desde o Manifesto Comunista de 1848: “Há muitas divisões na sociedade atual – religiosa, de todo tipo. Mas a divisão fundamental é a divisão de classes, e uma das razões para a raiva que vemos hoje no mundo se dá porque nenhuma instituição e nenhum partido político está realmente representando os interesses da classe que representa grande parte da força de trabalho”.[4]
 
A grande mídia, a serviço das grandes corporações, alimenta a desunião com suas piadas e imagens descontraídas criando um grande espetáculo e, consequentemente, vendendo uma imensa quantidade de notícias. Em seguida, fomenta uma retórica da unidade. É a velha tática do dividir para conquistar. O discurso aparentemente neutro tentará reunir novamente os brasileiros. E como ele será criado?
 
Para o brasileiro comum, política é resumida em uma única palavra, “corrupção”. As classes dominantes sempre utilizaram do argumento da corrupção para conduzir a política do país. O célebre historiador José Murilo de Carvalho começa o seu artigo sobre a história da corrupção brasileira destacando:
 
 
 
Os republicanos da propaganda acusavam o sistema imperial de corrupto e despótico. Os revolucionários de 1930 acusavam a Primeira República e seus políticos de carcomidos. Getúlio Vargas foi derrubado em 1954 sob a acusação de ter criado um mar de lama no Catete. O golpe de 1964 foi dado em nome da luta contra a subversão e a corrupção. A ditadura militar chegou ao fim sob acusações de corrupção, despotismo, desrespeito pela coisa pública. Após a redemocratização, Fernando Collor foi eleito em 1989 com a promessa de caça aos marajás e foi expulso do poder por fazer o que condenou.[5]
 
 
 
Não há motivos para se abandonar uma fórmula que sempre deu certo. Aliás, a comunicação “só tem êxito ao suscitar e ressuscitar experiências singulares, isto é, socialmente marcadas; isso é evidente no caso limite em que se trata de transmitir emoções”.[6] E nada suscita mais ódio no povo, quando se trata de política, que a corrupção.
 
Em uma pesquisa realizada em 2014, 67% dos brasileiros acreditam que a crise é oriunda da corrupção.[7] Não acredito que essa porcentagem tenha diminuído, muito pelo contrário. Para o cidadão comum, o fim da corrupção resolverá todos os problemas sociais que o aflige. Desta forma, é necessário criar um alvo, um mal, um progenitor da corrupção, incitando a opinião pública a extirpar essa perversão. É o “sonho de pureza” no qual se torna indispensável a demonização de alguém.[8]

 
As peças que as elites outrora usaram para se fortalecer são agora ascos, de modo que outros indivíduos são necessários para ocupar o trono da política. A burguesia sacrifica até mesmo os seus próprios lacaios difamados, como vimos na repercussão do áudio bombástico de Aécio Neves e das conversas de Michel Temer. A Rede Globo, grande emissora que publicou em primeira mão as conversas suspeitas de Temer, conseguiu, de certa forma, unir novamente a população. Nesse clima, artistas de “direita” e “esquerda” se juntam na casa da mulher de Caetano Veloso e formam o grupo “Temer Jamais”: “numa noite ‘superdemocrática’ [onde] as divergências foram poucas”.[9]
 
Após a “limpeza”, as elites usarão “novos” políticos, supostamente não envolvidos na corrupção, para poder adotar as medidas que desejam. Sem corruptos, tudo passa a ser justo. Deste modo, será possível conduzir a política de privatização da educação e dos hospitais, alterar as leis trabalhistas para favorecer o capital, pôr fim a diversos projetos sociais ou entregá-los a empresas que ficarão isentas de impostos etc. As reformas impopulares atreladas à imagem de políticos corruptos, com imensas dificuldades de serem aprovadas e aceitadas, serão dissociadas dos líderes impopulares ampliando, assim, sua anuência. O jornalista da Globonews, Alberto Sardenberg, deixa isso bem claro: “Agora é encontrar logo um novo presidente, para fazer exatamente a mesma coisa que Temer fazia — sem os encontros com Joesley”.[10]
 
É lógico que ser a favor da corrupção seria ridículo, dizer que não houve corrupção no governo PT também, todavia, a questão é que as investigações que estão sendo realizadas no Brasil não objetivam combater a corrupção, mas deturpar o conflito de classes, criando uma divisão viciada entre os que defendem a Lava-Jato (supostamente contrários à corrupção) e os que defendem o PT (supostamente os que não conseguem enxergar a corrupção promovida pelo partido que levou o país à crise) que, para uma ala da direita, é um partido tão podre quanto o PSDB.
 
Essa divisão é uma invenção dos próprios gestores do poder (o grande capital) e que, por sua vez, atende aos seus interesses. Enquanto o argumento pragmático se esfacela, aquele que apreciava a saída do PT consoante suas consequências favoráveis, é investido intensamente em outros temas capazes de incitar as massas, conduzir sua ira, tornando-as cegas mais uma vez às lutas de classe, à causa real que a embrutece, ao único conflito que de fato pode transformar a História.
 
Está mais do que evidente que Lula sofre uma perseguição inaudita em toda a História desse país, pois as elites querem pôr fim ao modelo político que ele representa, isto é, a conciliação de classes, modelo que já não serve mais para elas. Contudo, as esquerdas não devem resumir a sua luta ao ingênuo desejo do retorno do ex-presidente. Isso dá ainda mais fôlego ao espetáculo midiático. Como disse o secretário geral do Partido Comunista Brasileiro, Edmilson Costa, “a aposta deve ser feita na luta de massas, na mudança da correlação de forças, na derrubada do governo, com a colocação dos corruptos na cadeia, confisco de seus bens e a conquista de um governo que baseado nos interesses populares”.[11]
 
* Doutorando do Programa de Pós-Graduação em História Política da UERJ. Professor da rede municipal do Rio de Janeiro e de Itaguaí.
 
[1] DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Ebooks, 2003. p. 15. Disponível em: http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/socespetaculo.pdf
[2] http://blogs.oglobo.globo.com/ancelmo/post/compositor-lanca-musica-sobre-um-romance-entre-uma-coxinha-e-um-petralha.html
[3] GOIS, Ancelmo. Rio terá debate entre artistas “coxinhas” e “mortadelas”. Disponível em: http://blogs.oglobo.globo.com/ancelmo/post/rio-tera-debate-entre-artistas-coxinhas-e-mortadelas.html. Acesso: 27 de maio de 2017.
[4] http://www.bbc.com/portuguese/internacional-39901537
[5] CARVALHO, José Murilo. Passado, presente e futuro da corrupção brasileira. AVRITZER, Leonardo et. al. Corrupção: ensaios e críticas. 2 ed. Belo Horizonte: EdUFMG, 2012. p. 200.
[6] BOURDIEU, Pierre. A Economia das Trocas Linguísticas: o que falar quer dizer. 2 ed. São Paulo: Edusp, 2008. p. 25.
[7] http://www.sbt.com.br/jornalismo/jornaldosbt/noticias/70863/Maioria-dos-brasileiros-considera-a-corrupcao-a-principal-causa-da-crise.html
[8] BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Zahar, 1998. p. 13.
[9] Artistas de “direita” e “esquerda” se juntam na casa da mulher de Caetano Veloso e formam o grupo “Temer Jamais”. Disponível em: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/artistas-de-direita-e-esquerda-se-juntam-na-casa-da-mulher-de-caetano-veloso-e-formam-o-grupo-temer-jamais/
[10] Sardenberg reconhece que Temer já não serve mais para nada. Disponível em: https://www.brasil247.com/pt/247/economia/297616/Sardenberg-reconhece-que-Temer-j%C3%A1-n%C3%A3o-serve-mais-para-nada.htm
[11] https://pcb.org.br/portal2/14391

Anúncios

0 Responses to “A CORRUPÇÃO E O ESPETÁCULO DA DIVERGÊNCIA, TEXTO DE RAPHAEL SILVA FAGUNDES, NA CARTA MAIOR”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Quer linha de corte? Este é esquizo. Acesse:

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4,013,583 hits

Páginas


%d blogueiros gostam disto: