NI UNA MENOS:’TECEMOS UMA REDE FEMINISTA QUE VAI ABALAR A TERRA’

divulgaçãodivulgação

Texto da Mariana Serafini, – Vermelho.org

Do Sul do mundo ecoou um grito: “Ni Una Menos!”. Em poucas semanas, o movimento subiu pela América Latina, chegou à Europa e aos Estados Unidos. Com os punhos cerrados, as mulheres argentinas mostraram que não há fronteiras na luta para combater a violência de gênero e de 2015 pra cá, fortaleceram e expandiram o a articulação global. “Tecemos uma rede mundial de feminismo que neste 8 de Março  vai abalar a terra”, diz uma das organizadoras do coletivo, Cecília Palmeiro.
 
Em conversa exclusiva com o Vermelho, Cecília, conta como este grupo de mulheres comunicadoras uniu forças para dizer “basta” à violência de gênero. Ela é doutora em Literatura Latino-americana pela Universidade de Princeton (EUA), professora de estudos culturais latino-americanos especializada em gênero e sexualidade na Universidade de Nova York em Buenos Aires e na Universidade Nacional de Três de Febrero e autora da obra Desbunde e Felicidade, que em breve será publicado no Brasil. “O coletivo Ni Una Menos de Buenos Aires é um grupo independente e autogestionado de mulheres profissionais

Do Sul do mundo ecoou um grito: “Ni Una Menos!”. Em poucas semanas, o movimento subiu pela América Latina, chegou à Europa e aos Estados Unidos. Com os punhos cerrados, as mulheres argentinas mostraram que não há fronteiras na luta para combater a violência de gênero e de 2015 pra cá, fortaleceram e expandiram o a articulação global. “Tecemos uma rede mundial de feminismo que neste 8 de Março  vai abalar a terra”, diz uma das organizadoras do coletivo, Cecília Palmeiro.
 
Em conversa exclusiva com o Vermelho, Cecília, conta como este grupo de mulheres comunicadoras uniu forças para dizer “basta” à violência de gênero. Ela é doutora em Literatura Latino-americana pela Universidade de Princeton (EUA), professora de estudos culturais latino-americanos especializada em gênero e sexualidade na Universidade de Nova York em Buenos Aires e na Universidade Nacional de Três de Febrero e autora da obra Desbunde e Felicidade, que em breve será publicado no Brasil. “O coletivo Ni Una Menos de Buenos Aires é um grupo independente e autogestionado de mulheres profissionais da comunicação. Somos escritoras, poetas, editoras, jornalistas, artistas e acadêmicas que decidimos colocar nossos saberes e práticas à disposição para eliminar a violência contra as mulheres”, explica.
 
Os números relacionados à violência contra a mulher no Brasil são estarrecedores. Uma mulher é estuprada a cada 11 minutos, agredida a cada 5 minutos e assassinada a cada duas horas. Dos casos de estupro registrados, 89% das vítimas são mulheres, destas, 70% crianças e adolescentes que normalmente tem uma relação afetiva com o agressor, ou seja, estes são pais, padrastos, tios, avós, amigos da família, ou têm uma proximidade. Não é à toa que o movimento contra a violência tem ganhado cada dia mais adeptas.
 
De acordo com Cecília, na Argentina a violência aumentou no último ano. Em 2015 e 2016 uma mulher era assassinada a cada 30 horas, apenas neste início de 2017 o registro de feminicídio quase dobrou e uma mulher é assassinada a cada 18 horas. Ela denuncia também que aumentou a crueldade dos casos e a espetacularização da violência nos meios de comunicação. “Isso é parte do que chamamos de reação conservadora, através da qual o patriarcado defende seus privilégios, mas também da restauração conservadora que ataca nosso continente através de governos neoliberais que destruíram os logros obtidos em matéria de direitos e liberdades conquistados durante os governos progressistas”.
 
Com o mote em defesa da vida das mulheres, o coletivo conseguiu ampliar o discurso e propor o debate sobre outras formas de violência “menos óbvias”, explica Cecília, como os casos de abuso no ambiente de trabalho e as questões econômica e cultural. A conquista, neste sentido, é a transformação na opinião pública e a percepção das mulheres sobre a própria condição, sobre os direitos trabalhistas e as formas de opressão. “Ativamos o nervo revolucionário das mulheres em nosso continente e liberamos nossa imaginação para criar novas formas de comunidade. Infelizmente padecemos atualmente com um governo tremendamente misógino, racista e classista e, apesar de seus gestos vazios, é o principal responsável pela guerra contra as mulheres em nosso país”.
 
Assim como Michel Temer no Brasil, o presidente da Argentina, Maurício Macri, também propõe uma agenda neoliberal. Ao isentar o Estado de suas responsabilidades e ampliar o poder do mercado, as mulheres, os trabalhadores, os estudantes, os idosos, as crianças e grupos vulneráveis são imediatamente atingidos. É o caso da Reforma da Previdência, no Brasil, por exemplo, que vai prejudicar especialmente as mulheres.
 
Por isso no 8 de Março levanta-se a bandeira contra a violência, mas também em defesa de direitos. Diante desta onda de retrocessos que assola o Brasil, a América Latina e diversos outros países, partiu dos Estados Unidos uma palavra de ordem para mobilizar mulheres de todo o globo a fim de barrar esta agenda neoliberal. O manifesto assinado por Angela Davis e outras intelectuais norte-americanas é enfático: “Precisamos alvejar o ataque neoliberal em curso sobre os direitos sociais e trabalhistas”.
 
Da Argentina, Cecília endossa a campanha: “O 8 de março voltará a ser o dia internacional da mulher trabalhadora, por isso decidimos fazer a greve nesta data histórica que recorda as trabalhadoras assassinadas por protestar nos Estados Unidos. Não queremos flores, queremos igualdade econômica e autonomia sobre nossos corpos. Nosso desafio agora é seguir articulando um movimento unido e interseccional, capaz de abrigar mulheres e corpos indígenas, afrodescendentes, migrantes, trabalhadoras, travestis e trans, presas e escravizadas de todas as religiões, culturas e classes sociais. Temos que poder seguir articulando um discurso radical que não seja cooptado pelas agendas neoliberais”.
 
Neste sentido, o movimento Ni Una Menos é “enorme, popular e massivo. Somos o feminismo anticapitalista, antipatriarcal, anticolonial e antirracista. Impomos na agenda política as questões de gênero e conseguimos que no mundo inteiro a violência contra as mulheres seja percebida como tal, e não como parte natural da paisagem social. Mesmo que os governos não tenham cumprido com nossas demandas, sentem a pressão do eleitorado feminino que já não está disposto a tolerar o machismo e a supremacia masculina”.
 
Articulação global de mulheres
 
O Ni Una Menos não é ligado a algum partido político, mas é formado por mulheres que trazem consigo a luta política e se articulam em redes de assembleias em todo o território argentino. No ano passado, elas ampliaram a rede de articulação com outras ativistas do continente e do mundo e todas as ações são realizadas de forma colaborativa e solidária com movimentos feministas que já existiam, através de assembleias e convocatórias abertas, explica Cecília.

 
Neste 8 de Março, obviamente, elas estarão nas ruas e a próxima grande ação regional acontecerá no dia 3 de junho, que em 2015 foi estabelecido como o dia de luta contra o feminicídio.

Créditos da foto: divulgação
Anúncios

0 Responses to “NI UNA MENOS:’TECEMOS UMA REDE FEMINISTA QUE VAI ABALAR A TERRA’”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Quer linha de corte? Este é esquizo. Acesse:

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Blog Stats

  • 3,963,642 hits

Páginas


%d blogueiros gostam disto: