DE WEIMAR A CURITIBA: GOLPE À DEMOCRACIA, ONTEM E HOJE

Geraldo Magela

Por Roberto Bueno no site Carta Maior.

 Uma República, a de Weimar (1920), e outra pretensa, a de Curitiba (2015-2016), e uma perspectiva comum assombrosa, que agora se projeta sobre Brasília (2016-2017) e todos nós. Há quase cem anos, quando recaía sobre Weimar o odor sombrio da pólvora recente de 1914-1918, eis que a têmpera dos homens ainda mal-respondia às inseguranças e a impressão impactante de tanto sangue que escorrera nos campos de batalha e que, chegada a paz, então passaria a cobrar de forma dura a vida dos sobreviventes. A pressão dos tempos e o torpor que se abateu sobre mentes e corações causou inércia política apta a alimentar o cenário adequado para a emersão de uma nefasta conjunção de ideologias.
 
Imersa em um contexto de frustração com a capacidade do governo de enfrentar as crises em Weimar e face ao esfacelamento dos partidos políticos, eis que sob tal trilho a ascensão da barbárie nacional-socialista foi facilitada pelo fato de que os campeões da liberdade weimariana adormeceram entre a timidez e a tibieza, pela falta de ousadia, e de convicção sobre o valor da democracia, também embalados pelo descompromisso com o republicanismo e a escassa coragem cívica para agir em sua defesa. Assistiram passivamente a erosão das garantias jurídicas e de suas instituições, como se estivessem no aguardo do anjo salvador que, finalmente, nunca aterrissaria para a obscura missão redentora, senão apenas para o beijo escorregadio e frio de morte e defenestramento das instituições democráticas.
 
Weimar conheceu seus mais graves dias devido a conjunção de dois fatores diferidos no tempo, a saber, as consequências econômicas devastadoras do Tratado de Versalhes e, dez anos depois, a gravidade dos efeitos da quebra da Bolsa de Wall Street em 1929. A isto deve ser somada a importância decisiva da inércia mesclada a tibieza dos atores políticos e das instituições, que virtualmente alimentaram as condições de possibilidade para o recrudescimento da crise a níveis inauditos cujo desfecho é bem conhecido. A crise econômica foi fortalecida pela cultura política autoritária e pelas práticas fascistas, transgressoras da legislação democrática com o desassombro dos homens que creem carregar todas as razões, virtudes e fins elevados deste mundo, o que os legitimaria a impô-los. Ontem como hoje, a tradição autoritária foi cultivada em atos preparatórios, exalando o odor fétido da traição à Constituição e à República, e ainda sob o signo das liberdades foi sendo cozido o fascismo, temperado com as doses maciças do ódio que o inspira.
 

Em Weimar, como em Curitiba, a mídia cumpriu um papel ideológico relevante, em ambos os casos dilapidando o patrimônio do Estado democrático de direito ao apoiar a ascensão de forças autoritárias afinadas com o fascismo. A mídia operou em dupla via, deslegitimando o governo democrático e alimentando a omissão através da semeadura da desilusão políticas nos atores sociais, que ao sofrer o choque midiático são estimulados à inércia, neutralizando a reação contra a consolidação antidemocrática.
 
Weimar sofreu o agudo mal derivado dos movimentos oligárquico-autoritário-empresariais voltados a corrosão da democracia. Na década de 1920, como hoje em Curitiba, ocorreu o ataque a Constituição, neutralizando-a em pontos centrais, cuja atualidade é preciso entender a partir dos mil tons que o fascismo pode assumir, inclusive através das ações de homens togados que não estão a serviço do Estado, mas de determinada ideologia autoritária. Hoje o solapamento da Constituição ocorre através da associação entre as forças antiparlamentares com o grande poderio capitalista paulistano que as patrocina. Ontem, como hoje, o projeto antidemocrático precisa de bode expiatório para o caos pacientemente cultivado pela estratégia de cultura do ódio e da intolerância fascista.
 
O ódio foi sendo semeado por irresponsáveis políticos radicais de direita cujos interesses diretos foram sobrepostos ao público sem que a esquerda lograsse compreensão suficiente, e eficiente, de todo o processo em curso para unir forças antes que a ilegalidade se tornasse a regra. A busca pela encarnação do inimigo do sistema foi a lógica orientadora do autoritarismo de ontem, como o de hoje, realizando o duplo movimento de patologizar e, logo, criminalizar o outro. Era preciso exterminar os entraves de tudo quanto separava a Alemanha de seu grande destino, e para tanto era necessário eliminar as “existências parasitárias” (parasitenhafte Existenzen), assim como hoje o ovo da serpente fascista redesenha os seus novos inimigos históricos sob o pretexto do desenvolvimento econômico.
 
A desarticulação do republicanismo favorecia o nacional-socialismo, pois tolerância e pluralidade não apoiaria um regime frio, autoritário e cruel. A extrema direita alemã no período weimariano disseminava os valores heroicos e do extermínio do campo progressista, indivíduos considerados antipatriotas, inimigos dos genuínos valores germanos. A realização deste projeto demandava sepultar sentimentos de solidariedade e fraternidade em favor do despertar em seu lugar dos piores e mais funestos sentimentos humanos, e para isto a detecção de inimigo(s) era a estratégia mais eficiente. Ontem, como hoje, os articuladores da derrocada da democracia foram hábeis para construir o arquétipo de seus inimigos, e assim como os judeus foram identificados como responsáveis pela debacle econômica alemã, hoje, no Brasil, com o indispensável apoio midiático, o novo responsável por toda a ordem de males é o campo progressista, especialmente o Partido dos Trabalhadores.
 
Não foi necessário revogar a progressista Constituição de Weimar para que a passagem fosse aberta para o nacional-socialismo e isto evidencia as manobras constitucionais possíveis. As aparências foram mantidas mas leis especiais como a Lei de Concessão de Plenos Poderes de 1933 (Ermächtigungsgesetz) corromperam a ordem democrática. A concessão destes poderes a Hitler pelo Parlamento para que enfrentasse os propagandeados altíssimos riscos históricos encarnados pelo incêndio do Reichstag, foi o pretexto para a instauração da exceção. Ações parlamentares que atropelam a Constituição precisam ser travadas. O mero consequencialismo orientado por razões econômicas supostamente calçado na legalidade pode facilmente desconectar-se dos valores democráticos. Que Curitiba não venha a ter o mesmo desfecho de Weimar, malgrado o empenho togado curitibano para que os nossos dias venham a ser mais que sombrios.
 
*Faculdade de Direito. Universidade de Brasília (UnB / CT).

Créditos da foto: Geraldo Magela.


 
 
Anúncios

0 Responses to “DE WEIMAR A CURITIBA: GOLPE À DEMOCRACIA, ONTEM E HOJE”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Quer linha de corte? Este é esquizo. Acesse:

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Leitores Intempestivos

Juliana em CONVERSA COM A MARIA PADILHA D…
Anônimo em O CASUÍSMO DE FERNANDO HENRIQU…
Zeina Miranda Correa em EMPRESA DEGELO, ASSISTÊNCIA TÉ…
Luciana do nasciment… em CONVERSA COM A MARIA PADILHA D…
Elizandra gomes em CONVERSA COM A MARIA PADILHA D…

Outras Comunalidades

   

Categorias

Blog Stats

  • 3,979,603 hits

Páginas


%d blogueiros gostam disto: