MUITO ALÉM DOS PERFUMES E DO CHAMPANE

Foto do Arquivo do general Paul Aussaresses, fornecida a Leneide Duarte-Plon. O general é o senhor do meio.

Matéria de Moisés Carlos Ferreira para a Carta Maior.

Duarte-Plon, L. A Tortura como arma de guerra: da Argélia ao Brasil: Como os militares franceses exportaram os esquadrões da morte e o terrorismo de estado. Rio de Janeiro:  Civilização Brasileira, 2016
 
O livro em questão da Jornalista brasileira elucida alguns aspectos de nossa história recente que ainda são pouco estudados, como os acordos estabelecidos entre Brasil e França durante a ditadura militar brasileira e a consequente importação da Doutrina Francesa. Esta doutrina irá colaborar com a organização repressiva dos aparatos militares no cone sul deste continente.
 
Lançado do Brasil no primeiro semestre do ano de 2016, o livro tem como suporte uma série de entrevistas realizadas pela jornalista com o General reformado do exército francês Paul Aussaresses. A escolha em entrevistar Aussaresses deve-se a sua trajetória político-militar, suas funções na Guerra da Argélia, seu trabalho no Brasil como adido militar e também suas atividades como representante comercial de empresas bélicas, além de sua notoriedade na França após o lançamento de dois livros; “Serviços Especiais e “Ainda não disse tudo.
 
Por intermédio dos depoimentos de Aussaresses fica claro que a França utilizou de diversas praticas violentas para combater os militantes da FLN (Frente de Libertação Nacional) que lutavam pela independência da Argélia. Estas práticas foram chamadas de Doutrina Francesa e consistiam em sequestros, prisões, interrogatórios seguidos de tortura e desaparecimento, praticou-se desta forma a tanatopolítica, como nomeia Vladimir Safatle no prefácio do livro.

 O conjunto teórico, chamado de Doutrina Francesa foi cunhado na França na década de 1950 e nasce dentro do contexto das últimas guerras coloniais travadas pelo exército Francês. A primeira delas na Indochina a partir de 1946, onde o exército Francês se deparou com um novo modelo de guerra, chamada de revolucionária.
 
A Doutrina Francesa foi pautada pela apropriação dos conhecimentos do inimigo e a criação de seu antídoto, com a inversão e o contra-ataque, com as práticas para lidar com a guerrilha rural ou urbana, como uma guerra fluída, na qual o inimigo está em todos os lugares, as fronteiras agora são ideológicas e não geográficas e a guerra passa a ter um caráter irregular.
 
Este corpo teórico influenciou nas práticas do exército Francês nas batalhas contra a independência da Argélia, pois a tortura foi inserida como uma política de estado, criou-se a figura do “desaparecido” político, uma forma de não sobrecarregar o poder judiciário. Desta forma a França além de criar um  know how nesta área, se especializou  também em exportar estas técnicas para países como Argentina, Brasil  e Estados Unidos da América.
 
Esta exportação da Doutrina Francesa, se deu por intermédio das consultorias prestadas por Paul Aussaresses, que ensinou nos EUA entre 1961-1963 em Fort Bragg e Fort Benning, bem como sua atuação no Brasil junto ao CIGS (Centro de Instrução de Guerra na Selva) criado em Manaus em 1966.
 
Sua atuação no Brasil ocorreu entre os anos de 1973-1975, ao prestar serviços como adido militar, era amigo pessoal do então chefe do SNI (Serviço Nacional de Informação) General Figueiredo, último presidente militar. No Brasil, atuava também como um intermediário entre o governo Francês e Brasileiro, o que favorecia a compra de material bélico da França, principalmente aviõesMirage, o que explica em grande parte o interesse da França em exportar suas técnicas por intermédio de seus militares.
 
Um dos pólos de difusão desta doutrina foi a Escola das Américas no Panamá criada em 1946 pelos EUA, que se especializou em escola antissubversiva, treinando cerca de 60 mil oficiais latino-americanos, inclusive Rafael Videla da Argentina. Esta escola vai influenciar na organização do aparato repressivo aplicado nas Ditaduras Militares da América Latina a partir dos anos de 1960. Aussaresses conta que ao trabalhar no Brasil encontra por aqui vários de seus ex-alunos dos fortes Bragg e Benning.
 
O curioso foi a constatação de um dos recursos utilizados na aplicação da doutrina Francesa : para demonstrar tais técnicas usava-se o filme de Gilo Pentecorvo “Batalha de Argel” produzido em 1965, justamente para criticar esta barbárie.
 
Os aparatos repressivos utilizados na Guerra da Argélia, como os CCI (Centro de Coordenação Integrado) e o DOP (Destacamento Operacional de Proteção)  estão na origem da criação de órgãos da repressão militar brasileira, como a OBAN (Operação Bandeirantes) com sua estrutura de espionagem, autonomia de ação, e também o DOI-CODI (Destacamento de Operações Internas e Centro de Operação de Defesa Interna).
 
A partir dos assuntos suscitados nesta obra cabe uma outra reflexão, a de que a ditadura militar brasileira prestou assessoria na implementação da ditadura militar chilena em 1973, isto porque o Brasil já possuía um aparato repressivo organizado,  recebido pela  influência estadunidense e francesa.
 
A leitura deste livro, bem como o seu debate colabora para que estes assuntos sejam divulgados e revelados e que novas investigações sejam elaboradas sobre este período histórico.

Créditos da foto: Foto do Arquivo do general Paul Aussaresses, fornecida a Leneide Duarte-Plon. O general é o senhor do meio.

Anúncios

0 Responses to “MUITO ALÉM DOS PERFUMES E DO CHAMPANE”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Quer linha de corte? Este é esquizo. Acesse:

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4,050,109 hits

Páginas


%d blogueiros gostam disto: