Arquivo de agosto \22\UTC 2008



EFEITOS ELEITORAIS

A propaganda eleitoral gratuita na televisão para os candidatos a prefeito de Manaus só veio reafirmar o sabido: a tentativa dos que detém maior poder econômico para produzir programas com tecnologias virtuais acreditando na eficácia persuasiva destas teletecnologias para conseguir votos; e os de menores poderes econômicos que recorrem à fórmula glauberiana: “uma câmara na mão e uma idéia na cabeça”.

Nos virtualizados, encontram-se os candidatos Amazonino (do PTB), Omar (PMDB) e Serafim (PSB). Nos glauberianos, encontram-se os candidatos Luiz Navarro (do PCB), Ricardo Bessa (do PSOL) e Praciano (PT).

Pode ser que alguns replicantes não acreditem, mas os que melhor podem apresentar programas e conseguir dos eleitores confiança, por vivenciarem imagens e discursos claros, sem nenhuma interferência deslocadora da percepção e da cognição, são os glauberianos, o que não quer dizer que poderão ser eleitos. Mas que, objetivo precípuo do candidato, fazer-se entendido em sua mensagem, será mais assimilado. Além do que, o tempo destes partidos, por serem diminutos, permitem menos exposição dos candidatos, e impede que o telespectador-eleitor seja dissipado em sua percepção áudio-visual pelas estruturas que compõem a tela da TV: seus milhares de pontinhos luminosos, suas cascatas de imagens e sua acústica sintética, agressão virtual a todos que se expõem muito tempo ao aparelho domesticador áudio-visual.

EFEITOS VIRTUAIS

O que se viu na abertura da programação dos candidatos virtualizados comprova o que o telespectador sentiu. O programa do candidato Amazonino teve dois pontos virtuais: um, o místico/mítico, quando procura lhe transformar em predestinado à salvação do Amazonas. Evoca os ‘simbolismos’ da água amazônida, um Moisés manoniquim, e da salvação: “Vai, menino, salvar teu povo!”. Um virtual que o filósofo Nietzsche chamaria de consciência reativa/pessimista. Outro, a teletecnologia propriamente dita. O nome Amazonino é misturado com imagens de obras, monumentos, prédios, floresta, formando um quadro colagem que logo é fragmentado, reduzido ao fundo em um único ponto, para depois ser ampliado, tomando toda a tela com sua imagem atual. Como na cascata de imagens anteriores, Amazonino é super-exposto em imagens ainda jovem; quando aparece atual, é desrealizado por aquelas imagens, ao mesmo tempo que o atual desrealiza as imagens antigas. O filósofo Paul Virilio diria: Produziu-se colateralmente no telespectador-eleitor a fusão/confusão virtual.

No programa de Omar também predomina o recurso virtualizante com muitos planos deslocados em velocidades, compostos por imagens antigas de quando era estudante, para lhe conferir um engajado rebelde apresentado pelas palavras do ex-governador Gilberto Mestrinho que lhe anuncia como líder dos anos 80 que lutou contra a ditadura, quando esta já havia há muito acabado. Cenas da convenção das alianças com o governador Eduardo Braga, seu cabo eleitora oficial, e o ministro Alfredo Nascimento lhe pousando nos píncaros da capacidade e do denodo político. Entretanto, quando surge atual, sozinho, diante da tela, ocorre com ele o contrário do que ocorreu com Amazonino: a fusão/confusão não é produzida só pela imagem-visual, mas, principalmente, pela auditiva. Não surge o engajado, atuante, vibrante e denodado Omar, virtualizado. Surge uma voz que parece ser dublada, sem força de convencimento democrático.

Já o candidato Serafim, ao contrário da eleição passada, que era glauberiano, agora é virtual, inclusive com mais bonecos. As cenas derramam-se como feitos maravilhosos de sua administração. Personagens dos partidos coligados tecem honras coloridas a sua candidatura. É um tentativa teletecnológica de construir uma festa das grandes realizações. Mas Serafim também falha, porque toda a alegria construída virtualmente desrealiza-se quando ele e seu grande suporte, Arthur Neto, aparecem para comentar os mesmos feitos: faltam os afetos contagiantes da potência comunalidade como atualização do real democrático.

Como os eleitores sabem que as teletecnologias tomaram conta da sociedade pós-moderna, querendo-se como poder de criação de verdades irrefutáveis, cabe a eles um esforço de deslocamento das percepções e cognições para ver se por trás das virtualizações, ou não-virtualizações, aparecem idéias fundadoras da democracia.

CONFIRMAÇÕES DO FILÓSOFO BAUDRILLARD

Cientistas divulgam terem criado robot com cérebro orgânico. O filósofo Baudrillard, em sua teoria das replicâncias, ou clonagens, onde afirma ter homem chegado a harmonia absoluta da igualdade, depois de assassinar a alteridade, a causa e o efeito, o sujeito e o objeto, a continuidade e a história, desde a década de 70 já mostrava esse Ponto Zero do homem. Portanto, não há nenhuma novidade em tal revelação científica. Os robot-humanos estão por todas as partes muito bem visíveis. Os clones perambulam em todas as instâncias sociais, e cada vez mais organismos teletecnológicos produtores destas clonagens se esforçam para aumentar o batalhão dos que formam a unidade absoluta.

Nossos demonstrativos cotidianos da existência doméstica/cosmética são os tvclonados, principalmente os replicantes produtores e executores virtuscerebrados agentes da Globo.

Mas existem também os clones destas eleições. São os candidatos que em décadas passadas foram produzidos pela idéia-matrix da demagogia, e até hoje continuam na multiplicância metastática do discurso antidemocrático como fator de persuasão eleitoral, sem perceberem que há um novo real se atualizando fora da idéia-matrix. Um real desrealizador da criogênese demagógica, um real que, felizmente, eles não podem perceber, já que para perceber é preciso estar na ordem da alteridade com o outro. Tudo que eles não podem realizar, pois quando procuram o outro só encontram eles mesmos: seus reflexos. O robot cérebro orgânico.

NEM PARENTE NEM ADERENTE NO SERVIÇO PÚBLICO

Para muitos servidores públicos brasileiros, “parente é parente, e negócio é negócio”. E parente é um bom negócio. Só que ontem o Supremo Tribunal Federal (STF), decretou o fim do nepotismo no judiciário, com vinculação ao executivo e legislativo, o que é um duro golpe nos negócios nepotistas, pautados na interpretação/trapaça do signo significante da lei vigente. O Art. 37 da Constituição da República Federativa do Brasil estabelece no inciso II:

II – a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração;

Na prática do nepotismo, no entanto, por todos os cantos e desvãos do Brasil, o encanto com que muitas pessoas são contratadas para exercer funções públicas por nomeação de algum parente vereador, secretário de governo, deputado, juiz, senador, diretor de escola, governador, etc, é o mesmo encante que faz da Constituição apenas um apetrecho obsoleto, que serve apenas para algum rábula diplomado ou não diplomado interpretar a sua maneira. A lei é manipulável, deturpável, corrompível para aqueles que se acham acima de qualquer suspeita. E assim as repartições públicas vão sendo mobiliadas com tias, sobrinhos, esposas, namorados, compadres, maridos, amantes, eleitores, primos, pais, papagaio, cachorro, periquito, ramster, gato siamês… Recentemente, deu nos principais jornalões do Brasil o caso do presidente da ALE-AM, deputado Belão, que tinha quase toda a parentada nomeada em seu gabinete. Dizem que com a pressão, Belão não suportou e espocou a boca do balão, demitindo até a esposa.

Além de aproveitarem a brecha dos cargos comissionados, nomeando muitíssimas vezes parentes e amigos sem nenhuma capacidade para desempenhar a função pública de forma satisfatória, ainda passam a arrumar empreguinhos com suculentos salários, para os quais muitas vezes o privilegiado funcionário público não precisa sequer se apresentar fisicamente na sessão para onde foi instantaneamente designado. Inúmeros casos já se viu, e é provável que muitos outros há, em que a maior parte, às vezes todo, do módico salário de alguns milhares de reais vão direto para o bolso do padrinho empregador. Ao contrário, muitas vezes, irreal é o funcionário constante à folha de pagamento.

Com a nova lei, que vem tentar diminuir as malversações da Constituição, e que entrará em vigor em dez dias, os agregados biônicos da prática do nepotismo, finalmente parente pode passar a ser serpente, como queria o cineasta Mário Moniccelli, e as repartições públicas dos três poderes podem ver diminuir nos seus interiores os negócios familiares. Quem sabe assim os poderes não venham realmente a se tornar públicos.

DIVERSAS FORMAS PARA CONFIRMAR O ENEM

Para quem vai ajudar o governo Lula a conhecer mais sobre a situação do Ensino Médio no seu estado por fora dos dados estatísticos maqueados muitas vezes por secretarias estaduais de educação, e, de quebra, ainda poder pleitear uma bolsa para o curso superior em universidade particular a partir do Pró-Uni, existem diversas maneiras de garantir de antemão a confirmação do local da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM):

  • os candidatos receberão em casa o cartão de confirmação de inscrição com todas as informações sobre as provas, senha de acesso aos resultados individuais e com o questionário socioeconômico. O estudante deve preencher a ficha e entregá-la no dia da prova” (da Agência Brasil);

  • a consulta do local de provas também já está disponível pela internet, aqui no site do Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que é o responsável pela avaliação;

  • se o candidato não receber em casa o cartão de confirmação e não tenha acesso à internet, deve se informar em sua própria escola ou na agência dos Correios onde efetuou a inscrição;

  • finalmente, se precisar de alguma outra informação, pode acionar o telefone 0800-616161.

Atenção: a prova será aplicada no dia 31 de agosto, às 13h, no horário de Brasília; ou seja, às 12h de Manaus.

*……….::::: CHAGÃO! :::::……….*

Quien quiera entender como funciona el mundo deberá entender el fútbol”.
Roberto Perfumo (ex-jogador argentino).

CHAGÃO PERGUNTA

O ‘Chagão!’ quer saber: Dos jogadores que imortalizaram a camisa amarela da seleção, de longe é Garrincha o que foi personagem mais comum dos causos que contam por aí até hoje, e fazem parte da história da seleção nacional. Dizem que Garrincha comprou um rádio na Suécia, em 1958, mas teria vendido baratinho a outro jogador, convencido de que, levado ao Brasil, o rádio não teria utilidade, já que só irradiava na língua sueca. Outro episódio famoso foi aquele em que contam que Mané teria chamado a Copa do Mundo de 1958 de “campeonato mixuruca”, por não ter segundo turno. Contam ainda que na estréia do Brasil, contra os russos, Garrincha, ao ver o time adversário entrar em campo, teria afirmado se tratar de um time carioca, enganado pela semelhança do uniforme. Que time era esse? Resposta: Garrincha, ironizando com a inteligência dos passarinhos, teria dito que não sabia que o “São Cristóvão” estava disputando aquele campeonato. Como costumava fazer com a zaga de qualquer time do mundo, joãonnizou os russos, e eles tiveram uma tarde de são cristovenses.

CONTA OUTRA, LEONOR!

Depois de adentrar pela meia cancha da música futebolística com Naná Vasconcelos, a Leonor nos convida, em tempos de baile portenho e eleições municipais, a conferir a fina ironia do filho de Lula. Não o presidente, mas o Rei. Gonzaguinha, também chamado Lula, compôs uma ode à inteligência de Pelé, antecessor de Dungas, Kakás, Cafus e Andersons, mestres na fina arte da poesia romariana, aquela na qual o jogador “calado é um poeta”. Pouco antes, Pelé havia dito uma frase que era um verdadeiro gol a favor da repressão e da estupidez da ditadura militar: “o povo brasileiro não sabe votar”. Em tempos em que parte do Brasil, que se quer democrático não apenas no papel, mas nas relações sociais, peleja contra os generais de pijama para julgar os casos de tortura cometidos na ditadura, o toque refinado e artístico de Don Gonzaguito é o gol de Maradona contra os ingleses na copa de 1986:

E POR FALAR NO REI PELÉ”

(GONZAGUINHA – RECADO, 1978)

Craque mesmo é o povo brasileiro

corre em campo, se esforça o tempo inteiro

Via pra ponta e centra e cabeceia

e ele mesmo é o goleiro que escanteia

e o gandula que apanha no fosso a pelota

e a galera que a equipe incendeia

Craque mesmo é o povo brasileiro

carregando esse time de terceira divisão

nesse jogo sem gol, mas que emoção,

couro cru também é um mata fome!

Sempre um bamba se esquece

e a bola come

sempre um morre, é fatal a indigestão

Craque mesmo é o povo brasileiro

com os homens em cima na marcação

transformando a partida em pedreira

uma rinha sem gol, mas que emoção

na redonda ele se atira qual leão

tá pensando que é um prato cheio de feijão

e não é não! ” .

CAMPEONATOS NACIONAIS

Brasileirão Série A

Brasileirão Série A

Rodada 21, que teve sete jogos nesta quarta-feira. O Vitória “flamenguizou” e caiu para o sétimo lugar, empatando o clássico rubro-negro do Nordeste. Em outro (não tão) clássico, os lanterninhas Santos e Ipatinga se abraçaram e tomaram umas caninhas mineiras, já pensando na Segundona 2009. Outro candidato, o Flu, ex-time do brincalhão Renato, agora com cuca fresca no certame, respirou, vencendo jogo de seis pontos contra o Náutico, que deixou os seus torcedores Aflitos. Mantendo a sina das últimas rodadas, o Botafogo chamuscou o campeão mineiro e abiscoitou a terceira posição do Palmeiras, que manteve a escrita deste certame de não ganhar fora de casa. Na artilharia, Kléber Pereira (Santos) tem 13 gols, mesmo número do palmeirense Alex Mineiro, ambos artilheiros isolados do certame. Resultados:

21ª Rodada Série A – 20 e 21/08

Vitória 0 – 0 Sport Recife

Coritiba 3 – 0 Figueirense

Botafogo 1 – 0 Cruzeiro

São Paulo 3 – 1 Atlético/PR

Ipatinga 1 – 1 Santos

Náutico 1 – 3 Fluminense

Internacional 4 – 1 Palmeiras

Flamengo – Grêmio

Portuguesa – Vasco

Atlético/MG – Goiás

Classificação*

Grêmio  -  44

Cruzeiro  -  39

Botafogo  -  37

Palmeiras  -  37

São Paulo  -  36

Coritiba  - 35

Vitória  -  33

Flamengo  -  32

Internacional  -  29

Sport Recife  -  28

Figueirense  -  28

Goiás  -  26

Atlético/MG  -  24

Atlético/PR  -  23

Vasco  -  22

Fluminense  -  22

Portuguesa  -  22

Náutico  -  21

Santos  -  19

Ipatinga  -  17

* Em azul, os classificados para a Libertadores ’09; em verde, os classificados para a Sulamericana ’09, e em vermelho, os rebaixados para a série B.

LULA, O EDUCANDO/CONTÍNUUM

A Vontade de Saber é a potência que dispõe o homem ao conhecimento além do já posto, o conhecimento imagem pensamento do estado que compõem os conteúdos programáticos das escolas em formas de sistemas e doutrinas escolares, também como conhecimento-discurso do cotidiano que se manifesta na comunicação que fica reduzido a imobilidade. Pois é esta Vontade de Saber que Lula carrega. Potência criadora contínua que o diferencia principalmente dos propalados catedráticos do tipo Fernando Henrique, representante vaidoso de mais de 90% de saberes desnecessários à alteridade democrática. O conhecido saber inútil.

A Vontade de Saber em Lula não se realiza apenas por ser o presidente que mais criou políticas educacionais em todos os graus e intensidade na História do Brasil, não, isto tem força tecnocientífica, encontra-se em leis de realizações educacionais sistemáticas, e qualquer um poderia ter feito, até Fernando Henrique, que não fez, se realiza, em sua condição de sentir as ondulações criacionais que se distribuem no mundo como matéria, e transformá-las em conceitos e representações. O que poucos possuem, mesmo os mais letrados. O filósofo Guattari chamava de condição pática do sujeito. Perceber o invisível e torná-lo objeto manifesto no mundo.

RASTRO DO SABER NA INAUGURAÇÃO DO GNL

É por isso que Lula consegue brincar com o já posto. Hoje, dia 20, pela manhã, Lula, no Ceará, inaugurava uma estação de Gás Natural Liquefeito – GNL, diante de uma platéia mista de trabalhadores da Petrobrás, ministros e outras categorias. Mostrava a importância da estação para o Estado do Ceará e o Nordeste, como a população ia ver “navios adaptado para realizar tanto o armazenamento do Gás quanto para a regaseificação do produto a bordo do próprio navio onde se situa o terminal”. Continuava alegre em sua explanação sendo constantemente aplaudido quando pegou uma folha de papel, leu, e passou a explicar que o Brasil era pioneiro em transpor o Gás de uma navio para outro, olhou de novo para folha de papel, parou de falar e disse, sorrindo: “Tem uma palavra aqui que eu não conheço, por isso não vou falar”. Olhou para o presidente da Petrobrás, e este disse a palavra e seu significado: Criogênicos! Lula, caindo na gargalhada, completou: “Nada como um dia atrás do outro. A gente está sempre aprendendo”. O público aplaudiu, entusiasmado. Mas não estava acabado o espetáculo da Vontade de Saber, o humor político do educando/continuum. Lula olhou para o público e mandou a sentença educacional/política revolucionária: “Estou aprendendo tanto como presidente que quando acabar meu governo, aí estarei preparado para governar o Brasil”. A platéia foi ao delírio. Enquanto isso, certamente, a direita rangia os dentes e lançava impropérios invejosos. Quem sabe não viu aí uma mensagem cifrada para o terceiro mandato lulista? Que culpa tem Lula de carregar a Vontade de Saber? Ora, ora, meu.

1ª PARCELA DO 13º SALÁRIO DE APOSENTADOS PELO INSS SAI AGORA EM AGOSTO

Como ocorre no Governo Lula, desde 2006, através de um acordo feito pelo ex- ministro Luiz Marinho e as entidades de aposentados e pensionistas, o 13º beneficio do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) é dividido em duas parcelas e pagas de forma antecipada. A antecipação e divisão em duas parcelas do beneficio, por este acordo, está garantido até 2010. Mas a cada ano o Governo Federal edita um decreto onde são instituídas as regras da antecipação — sempre no mês de agosto.

Para os que recebem até o piso de R$ 415, e tem o número final do beneficio (excluindo o digito) de 1 a 5, terão a primeira parcela do 13º beneficio paga a partir do dia 25 de agosto, a qual será creditada junto ao abono.

Os demais segurados receberão a primeira parcela do abono nos cinco primeiros dias úteis de setembro, entre os dias 1º e 5, junto com o pagamento do benefício.

A segunda parte do 13º beneficio será paga entre os dias 24 e 28 de novembro, para quem recebe o piso e tem o número final do beneficio (excluindo o digito) de 1 a 5. Os outros segurados irão receber a segunda parte do 13º beneficio na primeira semana de dezembro, entre os dias 1 e 5, de acordo com o final do número do beneficio (excluindo o digito).

É o Governo Federal de Lula demonstrando o seu entendimento econômico-democrático em prol do povo.

Para quem quiser a tabela dos pagamentos do beneficio 2008, basta acessar o sitio do Ministério da Previdência Social.

Obs: Benefício rural, assistencial e de amparo ao deficiente não dão direito ao abono. Quem recebe salário-família, auxílio-suplementar por acidente de trabalho, abono de permanência em serviço, renda mensal vitalícia e vantagem de servidor aposentado por autarquia também não tem direito ao 13º pagamento do INSS.

Na segunda parcela do abono, será feito o desconto referente ao Imposto de Renda.

Quem recebe um benefício com valor de até R$ 1.372,81 é isento de Imposto de Renda.

APAGÃO EM MANAUS? BOICOTE À PRODUÇÃO INTEMPESTIVA…

……………1ª INTERRUPÇÃO…………….

O acessante intempestivo já sabe que neste bloguinho, a qualquer hora, ou fora de hora, com raras exceções, sempre se colocam novos textos e imagens, na madrugada é muito comum e também à tarde quase todos os dias. Aconteceu que ontem, num momento em que seria postado vespertino texto, por volta de 15:30h, aparelhos de som pararam de tocar, geladeiras pararam de gelar, o suco ficou mal batido no liquidificador, a serra elétrica parou, alunos não puderam ir à aula, uma criança caiu num buraco, este computador, que hora posta estas situações, também se desligou… Foi embora a energia na rua Rio Jaú – Novo Aleixo (Zona Leste de Manaus).

Quem mandou a energia embora? E mandou para longe, pois vários moradores da rua ligaram, desde o momento da interrupção, para o número de atendimento da Manaus Energia, e nada. Ia já pelas 22h, quando um dos moradores perguntou o porquê de tanta demora, ao que o atendente explicou que desde a manhã as equipes de plantão da empresa atendiam casos de interrupção de energia por toda a cidade. Então era por toda a cidade? O morador insistiu, perguntando se era verdade que haveria vários apagões na cidade como boicote à transferência da direção da Manaus Energia para a Eletrobras, no Rio de Janeiro, e o atendente explicou que havia esse boato, mas isso não havia sido confirmado. Às 22:45h a energia retornou, após mais 7h e 15min de interrupção contínua.

……………2ª INTERRUPÇÃO…………….

Ligamos o computador para escrevermos esse texto sobre as causas longínquas e mais recentes da corriqueira e sempre esperada falta de energia na cidade, mas às 23:15h lá se foi ela de novo. Começamos a pensar que o “racionamento não declarado”, do qual fala o diretor de Políticas Institucionais do Sindicato dos Urbanitários, Daniel Félix, estava declarado 24h por dia. Segundo ele o problema desse racionamento atual está ligado ainda ao fatídico apagão total da cidade, ocorrido em 1997, pois os equipamentos mais novos vieram dessa época, sendo, segundo ele, obsoletos, além da inexistência de manutenção. Mas dessa vez foram apenas 13 minutos, e às 23:28h outra vez voltou a energia.

……………3ª INTERRUPÇÃO…………….

Passou a meia-noite, e mais uma vez ligamos o computador para acrescentar a 2ª interrupção e publicar o texto. Quando finalizávamos, eis que novamente, às 01:19h, a energia foi mais uma vez embora. Dessa vez, seria até o caso de entrar na paranóia de acreditar que a Manaus Energia queria impedir-nos de postar. Mas é claro que não, na sua tirania, ela pretende também que uma senhora não ligue o ventilador nessa noite de verão, que o namorado não assista aquele filme com a namorada, que aquela estudante não colha as letras de uma leitura inadiável…

Nesse vai-e-vem, quantas geladeiras não queimaram, quantos rádios, quantos condicionadores de ar, quantas lâmpadas que não se pode acender para ir ao banheiro… e esse texto que não se publica nunca. Conforme conhecido de todos os manoniquins, os transformadores estão com sobrecarga, as chamadas bananas (condutores) se rompem por não suportarem o aumento do consumo de energia e a ineficiência de gerenciamento da Manaus Energia. O que mata a hipótese do apagão-boicote, tornando-o em apagão-desculpa. Quiçá a transferência da diretoria sirva para o Governo Federal promover um melhor gerenciamento desse serviço público em Manaus.

Depois de meia hora, às 01:49h, a energia retornou de novo. No total foram 7h e 59min de interrupção de energia elétrica e da atividade de milhares de pessoas. Dessa vez tentaremos ser rápidos, tentaremos publicar antes da próxima interrupção. Será que a Manaus Energia quer que sejamos mais rápidos do que a velocidade da luz…

DUNGA, O FUTEBOL NÃO É UM CONTO DE FADAS. AO VIVO É MUITO MELHOR

O historiador-filósofo Philippe Áries em seu estudo sobre a história das famílias, afirma que o nome é fantasia e sobrenome é tradição. Mas Áries não afirma o que é o apelido. Talvez o apelido quando cola e funciona socialmente mais que o nome e o sobrenome, seja o real referente-nominativo do indivíduo. Talvez, seja esse o caso de Dunga, técnico das duas seleções de futebol masculino do Brasil.

Dunga é um apelido saído de um conto de fadas coletado pelos irmãos Grimm, “A Branca de Neve e seus Sete Anões”, onde Dunga é um deles. Embora sejam sete anões, para a psicanálise, principalmente para o psicanalista Bruno Bettelheim, que escreveu a obra “A Psicanálise dos Contos de Fadas”, onde apresenta um estudo sobre os contos de fada na vida das crianças como formas de linguagem usadas por elas, principalmente, para diminuir suas angustias parentais, eles são representações em unidade que “simbolizam uma forma de existência imatura e pré-individual” (B.B.), além de manifestarem elementos fálicos e pré-edípicos. Em síntese simbólica, “os anões são eminentemente homens, mas homens que ficaram bloqueados no desenvolvimento” (B.B.). Na analogia nominalista e psicanalista de Dunga como técnico das seleções brasileiras, manifesta-se a “imaturidade” para conduzir a seleção de um país da pátria de chuteiras, como o Brasil. Aí que, hoje, após a derrota cruel, e diante de seu pior rival ‘pebolístico’, a seleção Argentina do futebol ‘tangueiro’ de Maradona e Piazzolla, que “toca bem melhor que um blue (Belchior)”, Dunga deve está sentindo que o futebol não é um conto de fadas, e que ao vivo é muito melhor. O que lhe impõe uma angustiante ameaça de demissão por todas as pressões que neste momento multiplicaram.

Assim, escolhemos alguns dizeres para além do “princípio do prazer” (Freud) no “princípio de realidade” (Freud), que agora vive Dunga.

- Ameaçado, Dunga não quer lembrar Donga: “Pelo telefone”*

- Para Dunga não deu Beijing, Beijing. Só, tchau, tchau!

- Dunga garimpando ouro, pode encontrar apenas bronze, ou latão.

- Derrotado, Dunga mais uma vez se duplica e aparece zangado.

- Dunga mesmo no Oriente, não se orienta.

- Argentino em terreiro baiano cantaram felizes: “Dunga, lê, lê! Dunga lá,lá, Camará! O vapor de cachoeira não navega mais!”

- Dunga viu o ouro afundar no “Agueiro”.

- Dunga, vendo o baile, permaneceu de ‘chupeta’.

- Dunga, não adianta ficar zangado, o problema do teu time é que é soneca.

- Dunga, teu time de onze, não apareceram nem sete. Número cabalístico, talvez te desse o ouro, nem que fosse de Shangri-Lá.

* Pelo Telefone, de autoria de Donga, é considerado o primeiro samba gravado.

BAILE ALBICELESTE NA SEMIFINAL OLÍMPICA

Argentina dá um baile olímpico, enquanto o Brasil de Ronaldinho fica só na chupeta.

Depois de um primeiro tempo que não existiu, com uma Argentina amebiana e um Brasil anencéfalo, o técnico argentino resolveu que não esperaria mais o parceiro verde-amarelo para el baile da semifinal.

Entrou no segundo tempo acionando mais o notre-dameano Di Maria, que entrava na lateral do alucinado Rafinha, que correu, correu, correu na lateral, mas como todo lateral brasileiros das últimas décadas, não sabe cruzar uma bola. Daí, foi fácil. E olhem que Riquelme só deu um passe pra frente: o da cobrança do penal. De resto, alimentou a defesa argentina com os seus toque pra trás e caía quando sentia a aproximação de algum perna-de-pau de amarelo.

Messi resolveu fazer valer a pena a briga que teve com o Barcelona, e tomou conta do meio de campo, chamando constantemente os jogadores brasileiros pra dançar. A defesa nacional é tão generosa que até Aguero, o genro do Pelusa, marcou. Tudo bem que o avante do Atletico de Madrid foi apenas tabela no primeiro gol, e quase errou o segundo, mas marcou, e está na súmula. No meio de uma nota grave de uma milonga arrastada de Adriana Varela, Mascherano chamou o meio-campo brasileiro pra dançar, Lucas não gostou da promiscuidade e sarrafeou, sendo expulso pelo maestro da casa de show. Mais adiante, foi Thiago Neves quem não aguentou o swing portenho e foi convidado a ir mais cedo pras Laranjeiras.

Dizem que o sindicato dos anões já entrou com um efeito suspensivo para impedir a queda iminente de Dunga, para a alegria da Bruxa Má da IEER – imprensa esportiva epistemologicamente reduzida, que coloca no anão a culpa pelo adormecimento da Branca de Neve do futebol brasileiro.

A IEER também fica na expectativa da fala do sempre inteligente Anderson, volante e teórico do futebol feio, que deve explicar que o time brasileiro está próximo do ápice do futebol de resultados. Ou 3 a 0 não é, por acaso, um grande resultado?

Agora é Argentina e Nigéria pelo ouro, enquanto os brasileiros vão pelo bronze para um dèja vú com a Bélgica. E viva as meninas!

AGORA SE SABE POR QUE AMAZONINO NÃO QUER IR AOS DEBATES

Até ontem, parecia que Amazonino iria cumprir a sua determinação de não comparecer a debates na tevê, por achar que todos são “pegadinhas”. Ressabiado com os clássicos episódios da “inclusão digital” e do “IPTU” na campanha passada, o candidato parecia resolvido a não arriscar.

Depois de ter se ausentado de entrevistas em duas emissoras de tevê na semana passada, o candidato, ex-prefeito biônico, ex-prefeito eleito de Manaus, ex-senador e ex-governador três vezes (mais de 20 anos), Amazonino Mendes, esteve ontem em uma rápida entrevista em outro canal de tevê.

Para os eleitores que não puderam apreciar a presença, os argumentos e propostas do candidato para a cidade de Manaus, vai abaixo um resumo, com perguntas que não puderam ser feitas ao candidato, mas que ainda podem ser feitas por qualquer eleitor que o encontre nas campanhas por aí.

EDUCAÇÃO (ou “COMO FALAR SEM DIZER NADA”)

A pergunta da apresentadora foi clara: o candidato considera importante a educação infantil, embora ela não esteja contemplada como obrigação do Estado? Amazonino respondeu que a educação vai mal, e que a infantil é sim obrigação moral do governo. Disse que teve conversas profundas com os professores, e que educação é um assunto sério.

Pergunta: se Amazonino realmente conversou com os professores, já sabe que a perspectiva deles é outra? Alguém conhece algum professor que tenha conversado profundamente com o candidato?

TRANSPORTE COLETIVO (ou “TOQUE INCONSCIENTE NO ELEITOR CONSCIENTE”)

Questionado sobre transporte coletivo, Amazonino é taxativo: “está horrível!”. Para ele, são mais de 400 carros por mês a mais, numa cidade em que os governos anteriores não prepararam o terreno para essa explosão. É preciso melhorar o transporte coletivo.

Pergunta: terá percebido o candidato, ex-prefeito biônico, ex-prefeito eleito de Manaus, ex-senador e ex-governador três vezes (mais de 20 anos), que inventou a autocrítica em terceira pessoa?

LAZER (ou “COMO FAZER PROPAGANDA SUBLIMINAR PARA O ADVERSÁRIO”)

Questionado sobre a política para os jovens, Amazonino fez questão de lembrar que em Manaus, não há espaços de lazer. “Praticamente, só há a Ponta Negra”, afirmou, reforçando a importância do lazer para que os jovens não fiquem à mercê da violência.

Pergunta: uma das estratégias de marketing é a de falar do produto sem citá-lo diretamente, para que seja evocado pela memória do consumidor, facilitando a retenção da lembrança da marca. Uma vez que a população, votante ou não, simpatizante ou não de Serafim Corrêa, e até as paredes da casa do Tarumã sabem da existência do Parque dos Bilhares, terá Amazonino consciência de ter cometido uma propaganda subliminar para o seu adversário?

FALTA D’ÁGUA (ou “COMO FAZER PROPAGANDA DESCARADA PARA O ADVERSÁRIO”)

Quando foi instado a falar sobre o problema da falta d’água, Amazonino intelectualizou. Afirmou ter estudado o problema, citou a repactuação feita pela atual administração municipal, que aumentou – segundo ele – em 24% o valor da tarifa, construiu tubulações e 09 reservatórios, cada um com capacidade para mais de 5 milhões de litros de água. Mas esqueceu de colocar os canos de distribuição para as residências. “Mas pode deixar que eu vou fazer”, concluiu.

Pergunta: o estudioso Amazonino, que não estudou Spinoza, ou saberia que conhecer é conhecer pelas causas, e não pelos efeitos, além de “esquecer” que a privatização da água foi uma proeza do seu governo, ainda fez uma exibição das ações da prefeitura de Serafim no tocante à distribuição de água na cidade. Só faltou citar a presença de Lula no dia da inauguração de um dos reservatórios. Quanto ao final estonteante, levou os eleitores menos atentos a uma dúvida: Amazonino é candidato a prefeito ou a encanador?

POR QUE AMAZONINO NÃO VAI AOS DEBATES.

Ficou bem claro, nesta pequena incursão televisiva do candidato, onde a apresentadora apenas “levantou as bolas” para ele cortar, o motivo pelo qual a sua presença em debates e entrevistas é perniciosa à própria candidatura dele: é que, no caso do ex-prefeito biônico, ex-prefeito eleito de Manaus, ex-senador e ex-governador três vezes (mais de 20 anos), vale aquele clichê hollywoodiano de filme policialesco: “tudo o que você disser será usado contra você”. No caso do candidato, não no tribunal, mas nas urnas.

UTILIDADE PÚBLICA: DEFESA DO ELEITOR

Todo eleitor, como cidadão de um Estado, pelo menos juridicamente, tem garantido vários direitos que sem eles não seria um habitante da polis: Cidade-Estado. Mas, sim, um pobre renegado urbano, um excluído social e politicamente. Entre seus direitos, há um que é fundamental para se manter em bom humor e contribuir com sua inteligência e seus talentos para a construção de uma sociedade democraticamente gratificante, é o direito de não ser importunado no momento em que esteja comprometido com uma atividade que lhe aumenta a potência de agir tão necessária para sua disposição na produção de solidariedade.

Pois bem, nos últimos dias, o eleitor-cidadão habitante de Manaus vem tendo suas atividades gratificantes sendo violentadas por um telefonema inesperado oferecendo uma mercadoria da época eleitoral: um candidato a prefeito. O ofertante telefônico da mercadoria-candidato não é nada mais do que o cabo eleitoral-oficial, governador do Amazonas, Eduardo Braga. Tirado de sua atividade e pego de surpresa, o eleitor, ao atender o telefone, ouve a voz do governador oferecendo sua mercadoria-candidato: Omar Aziz. Ora, se a tentativa de qualquer mercador, em querer persuadir alguém a comprar um produto oferecendo-o ao vivo sem que este alguém demonstre qualquer interesse na mercadoria, já é um grande inconveniente, imaginemos o oferecimento via telefonia de uma mensagem gravada em que o eleitor fica impossibilitado de contra argumentar? É a ridícula exacerbação da inoperância da comunicação. O eleitor ouvinte é reduzido ao vago receptor eliminado de seu poder-emissor. Fonte de análise e opinião sobre o mundo censurada pela voz gravada do governador.

Assim, observando este triste fato na nossa anêmica democracia telúrica, e preocupado com sua ameaça à criação da democracia-potência, como este bloguinho intempestivo se mostra, precipuamente, na rede virtual, como utilidade pública, ele resolveu, a quem interessar, publicar um dos números que estão sendo responsáveis pela violência aos direitos do cidadão-eleitor de não ser importunado. O que lhe dispõe ao vê-lo, não ser importunado e continuar sua atividade gratificante. Lembrando, porém, que, infelizmente, este serviço de utilidade pública ao eleitor só atinge os eleitores cujos telefones fixos têm bina. O número é este:

.3321-7900.

Não atendê-lo é seu direito. Privilegie sua atividade-cidadã.

JANTAR COM DONA MARIA MOLAMBO NO TERREIRO DE MÃE VALKÍRIA

A minha catatumba tem mistério

Ai, eu sou pombogira do cemitério

Cabelos negros, olhos azul

Sou Maria Molambo, filha de rei Omolu

Afinsophia

foto: Afinsophia

Clique nas fotos para ampliá-las.

Foi na sexta-feira passada, lá no João Paulo II, onde o terreiro de Mãe Valkíria estava enfeitado, perfumado, iluminado e quando os filhos, clientes e convidados chegaram, a mesa foi posta para o jantar com Dona Maria Molambo.

Afinsophia

foto: Afinsophia

Enquanto os tambores esquentavam, conversamos com Mãe Valkíria, que nos falou dos significados desse jantar com Dona Maria Molambo:

A festa de hoje é uma tradição, é o aniversário de Dona Maria Molambo na minha cabeça, fazendo 25 anos que eu carrego Maria Molambo e hoje estamos fazendo uma homenagem pra ela, em comemoração à data que ela nasceu na minha cabeça, dia 15 de agosto. É um jantar que a gente faz pra Dona Molambo, que é um exu, uma pombogira. Nós temos a mesa dela, que a gente arreia, faz um toque pra ela e oferece o jantar aos convidados. Todos podem entrar, podem se servir, podem comer à vontade. Vem ela e vem outras irmãs dela, outras pombogiras. Vêm várias pombogiras, inclusive do meu pai de santo, irmãos de santo, de outros membros de outros barracões que comparecerem pra marcar presença. Eu tenho 13 anos de santo, feita dentro do Ketu. Sou filha de Pai Ribamar, meu primeiro pai de santo. Hoje estou com Pai Gilmar, graças a Deus, foi ele me deu meu oiê, estou muito bem, obrigada. Estou com 12 anos que moro aqui no Jorge Teixeira, e há 12 anos eu faço essa festa pra ela. O nome do meu barracão é Ilê Axé Omin Zô. Aqui em casa têm consultas dias de segunda, com Dona Maria Molambo, e quarta, com Dona Mariana. Tanto uma como outra trabalham no amor, feitiço. Elas não trabalham com bruxaria. Trabalham na magia branca e não na magia negra. Nós não cultuamos magia negra na minha casa…

Afinsophia

foto: Afinsophia

Na noite negra de Exu

Em toda parte elas são comemoradas

Na noite negra de Exu

É pombogira que chegou da encruzilhada

E não demorou para a dona da festa, Dona Maria Molambo, baixasse com sua alegria para receber a homenagem que lhe prestavam nesse dia, vindo distribuir sua abençoada farofa e oferecer sua comida a todos os presentes.

Afinsophia

foto: Afinsophia

Ê, farofê, farofá

Olha a farofa que Exu vai dar

Farofê, farofá

Olha a farofa que Exu vai dar

A essa altura o terreiro já era povoado por diversas pombogiras, todas formosas, que vieram prestigiar a festa de sua irmã, e o terreiro foi tomado pelos belos e animados pontos que elas entoavam enquanto bebiam, dançavam ou conversavam com os presentes, sempre com suas estridentes gargalhadas que tomavam conta da noite.

O povo da macumba diz

Que Exu não vale nada

Olha lá que ele é exu

Rei das sete encruzilhadas

Segunda plantei a cana

Na terça eu fiz crescer

Na quarta fiz o engenho

Na quinta eu fui colher

Na sexta fiz a cachaça

No sábado eu vou beber

Domingo eu vou pra rua

Que é pro povo me ver

Dizem que pombogira é uma rosa

Que mora no meio dos espinhos

Dizem que Maria Molambo é uma rosa

Maria Molambo é uma rosa

Que abre os teus caminhos

Depois que o jantar foi servido a gosto e à vontade, tendo ao fundo o som do tambor, dos pontos, das gargalhadas, então tivemos uma longa conversa com Dona Maria Molambo, que, sempre bem humorada, falou sobre diversos assuntos da religião, sobre sua filha, sobre seus trabalhos, etc. Abaixo vão alguns trechos dessa conversa.

Eu sou Maria Molambo. Sou filha de rei Omolu. Vivo no cemitério. Dentro de umas catatumbas. Sou uma pombogira que trabalho pro bem e pro mal também. Têm várias marias padilhas, têm várias ciganas, mas Maria Molambo sou só eu. Nós somos três irmãs: Maria Molambo, Maria Farrapo e Maria Mulher. Hoje é minha homenagem, estou fazendo 26 anos na cabeça de Dona Valkíria, e não marco data pra minha era. Todo ano eu mudo minha data. Eu faço ano em cima da cabeça da Dona Valkíria no dia 26 do 12, mas como eu não gosto da data, pra cada ano eu boto um dia. Só agosto, só mudo o dia. De três em três anos eu como bicho de quatro pé, como hoje eu tô comendo a cabra; mas não sirvo minha cabra pra pecador. Eu como a cabra, mas não dou pro pecador comer. Como só. Somos várias pombogiras, somo uma irmandade, gosto das minhas irmãs, gosto das minhas cumade, que são as cabocas.

Afinsophia

foto: Afinsophia

Juraram de matar essa rolinha

Juraram de matar essa mulher

Ela tem peito de aço

Ela tem peito de aço

E o coração de um sabiá

Já fiz muitas coisas na vida de Dona Valkíria. A minha filha é neta de Angélica Sara da Costa, uma moça que teve terreiros muito grandes aqui dentro do Amazonas. Ela era da Bahia, e teve terreiro muito grande em Tefé, e hoje a minha filha tá seguindo o que ela deseja. É isso que a religião quer: respeito. Ela já progrediu muito na vida dela, eu sempre ajudei. Eu tenho meus filhos, tenho meus clientes. Aqui hoje a maioria são meus clientes. Gosto mais de fazer trabalho pro amor. Trabalho muito pro amor, pra negócios, gosto de ajudar pecador. Se tá desempregado, se tá trabalhando e tá com dificuldade, eu gosto de trabalhar. E pras moços que têm assim mais idade. Não gosto de trabalhar pra moço pequeno, mocinho novo, os meus clientes tudo são de idade, pra juiz, pra advogado…

Afinsophia

foto: Afinsophia

Já fiz vários trabalhos especiais. Tô com um com o pé no inferno. Porque, assim como se trabalha pro bem, se trabalha pro mal. Hoje é um dia que estou assim muito alegre, porque um moço que faz muita maldade no mundo do pecado, e nos ontem, quando eu estava comendo, ele veio na minha porteira tirar uma graça, piadinha. Como eu não gostei da piada, como ele falou, eu fui embora; me encostei num policial, o policial deu vários tiros no moço; o moço tá lá esperando a hora de ir pro inferno, pra mim receber ele muito bonito lá nas minhas catatumba. Vou estar lá na porta achando graça, recebendo ele, em breve. Não vai custar muito não.

Afinsophia

foto: Afinsophia

Eu passei na casa dela

Ela estava na janela

Eu olhei pra sua guia

Ela estava sem ela

A flor do seu cabelo

Não tinha cheiro nem perfume

Era a flor do desespero

Misturada com ciúme

Ela bebe porque gosta

Fuma porque dá prazer

Quem não bebe, quem não fuma

Que alegria pode ter

Afinsophia

foto: Afinsophia

Outro trabalho especial, muito especial que eu fiz, foi quando uma juíza me procurou, que ela não estava conseguindo resolver os problema dela, no trabalho dela, não tava dando conta. Eu disse pra ela que ia ajudar ela. E ajudei. Hoje ela tem muito êxito no trabalho dela, está tudo certo. Ela tá crescendo. Então, eu fico muito alegre quando eu posso ajudar. Os processos que tavam entrando, era um querendo crescer na costa do outro, como sempre fazem no mundo do pecado, e eu consegui que ela igualasse com os outros, e hoje ela não é mais uma pessoa perseguida. O povo aprenderam a respeitar a moça, dividir o trabalho com ela. Pra mim foi uma alegria, porque ela trabalha assim nos fóruns, é dona assim de cartório. Ela já foi, mas ela veio me dar o meu abraço e foi embora. Eu fico alegre em cada trabalho que eu faço que o povo chega e diz: “Dona Molambo, tô muito alegre, porque já consegui. Até hoje nunca chegou um na minha porta pra dizer que não.

Afinsophia

foto: Afinsophia

O pecador que fazer uma oferenda ou um trabalho, mas não quer vir, manda; faz um escrivinhador e me manda. Se uma amiga sua está necessitada de alguma coisa, o senhor me traz o nome, me traz as datas do nascimento e me entrega, por aí eu vou ver o que eu posso fazer. Daí eu vou ajudar conforme o que o senhor quer. Se quer fazer uma oferenda, a gente sempre pede uma vela, champanha, flores ou alguma coisa que for necessário pra uma mesa. Se o cliente tiver necessidade, se a pessoa tiver precisando, a gente arreia, e quem veio me pedir bota fé em cima da minha e lá em cima resolve o restante.

A mulher pra ser direita tem que ter nove marido

A mulher pra ser direita tem que ter nove marido

Cinco debaixo da cama, quatro no mato escondido

Cinco debaixo da cama, quatro no mato escondido

Eu peço assim: que os povos assim da religião, da Umbanda, do Ketu, Mina, que se una, seja mai humilde, porque espírito não é propriedade de ninguém, que nós também não somos donos e também não somos patrão, que se una, porque os crentes estão crescendo, tão subindo, porque é uma irmandade, e a relkigião da Umbanda, do Candomblé tá se afundando, porque cada um quer ser melhor do que outro. Se derem as mão e ver que tem que crescer, as coisas melhoram. Irmandade e humildade, porque todos juntos fazem uma coisa, não um querendo ser melhor do que o outro. Que Omolu abençoe assim a todos, que dê muito êxito e compreensão a todos!

Afinsophia

foto: Afinsophia

São flores, são flores

São flores para Exu

São flores, são flores

São flores para Exu

São flores Maria Molambo

São flores para Exu

São flores Maria Molambo

São flores para Exu

Afinsophia

foto: Afinsophia

Afinsophia

foto: Afinsophia

COLUNA VERTEBRAL

Se a Vertebral não analisou nada se realizou

http://farm2.static.flickr.com/1170/1215798491_0ee4c33e86.jpg?v=0

# A terra tornou-se menos dolorosa. Uma intensidade afetiva democrática passou a se movimentar sobre ela: O TIRANO DO PAQUISTÃO, MUSHARRAF, RENUNCIOU. A sangrenta ditadura, alimentada pelo Estado norte-americano, durante todos os dois mandatos Bush, enfraqueceu. Não conseguiu se manter em sua crueldade diante da força popular. Mesmo com todo o histórico de ditaduras, o Paquistão, agora, pelo menos vê diminuir a opressão da subjetividade tirânica que tomou conta da maior parte do Oriente, incrementada, principalmente, pelo império Ocidental. Fim de uma tirania, segundona alvissareira, apesar do TDPM – Transtorno Disfórico Pré Menstrual.

# As Olimpíadas tendem a desaparecer através de seus próprios objetivos. Pelo menos nos chamados esportes de recordes. Vejamos. Um esporte como a natação, em que o grande objetivo é bater recordes, com o transcorrer do tempo olímpico a velocidade dos nadadores será tamanha que o tempo entrará no Ponto-Zero: acabará. As piscinas ficarão pequenas para estas velocidades. Os nadadores chegarão a alcançar os recordes sem saírem do ponto em que entraram na água.

Pode ser que seus patrocinadores, para impedir essa autofagia olímpica, resolvam mudar as regras: ao invés de velocidade, o vitorioso será o mais lento. O que chegar por último. E no salto com vara, em que o recorde é quem pula mais alto? Até onde um corpo pode ser impulsionado para cima com uma vara? Ou melhor: até onde pode subir no ar um atleta? Chegará ele às nuvens? E quando chegar? Termina o esporte. A salvação é mudar, também, as regras: quem pula com a vara menor e mais baixo. E o salto em distância. Qual será o último recorde? Quanto o atleta de um pulo no Oriente chegar no Ocidente? E por aí vai seguindo a extinção de alguns esportes olímpicos que existem baseados em recordes. Prova que as Olimpíadas Gregas eram diferentes das pós-modernas. Se seu suporte fosse os recordes, hoje não haveria mais Olimpíadas. De lá para cá muitos esportes teriam desaparecidos pelos recordes, pois o gregos eram verdadeiramente atletas. Nos dois tempos-históricos, é somente questão de filosofia, como diria a filósofa Filó.

# Com a chegada do HORÁRIO ELEITORAL GRATUITO, o eleitor-telespectador vai se defrontar com dois tipos de candidatos. Um candidato de primeira viagem, que vai fazer uso de uma pedagogia de persuasão com a intenção de se tornar crível, por meio de suas palavras, como prefeito ou vereador, e assim conseguir ser eleito, o que pode ser o produto da inteligência do eleitor, se o eleito realizar realmente o prometido, ou de sua ingenuidade, se o eleito apenas aproveitar seu cargo executivo ou legislativo para enriquecer, como tem acontecido continuamente. Outro candidato é o já viajado. O que já conhece as rotas, os tempos e os ventos dos mares políticos, e se for daqueles que subiu ao ‘poder’ apenas para enriquecer, sua pedagogia vai ser a da chamada desconstrução do passado, mostrando-se novo, com outras propostas diferentes das já conhecidas pelo eleitor. Em síntese: permanecer como sempre foi, demagogo, sem que nunca tenha sido, diante do eleitor. Missão perigosa, pois contará muito com a ingenuidade do eleitor que o elegeu no passado, mas contará com a racionalidade de outros eleitores que o têm como inimigo da democracia, e, ainda, se arriscar que o tal eleitor ingênuo, em razão de novas vivências, principalmente com as políticas sociais do governo Lula, que lhe beneficiam, tenha mudado de percepção e entendimento da existência, aumentando sua auto-estima, saindo do estado de escravidão, não vote mais nele. É para comparar os dizeres dos candidatos que serve o horário eleitoral gratuito. É um exercício intelectual democrático.

Eleição pra mim é Rock!

Beijos e abraços Vertebrais!

A “BONDADE” DA PESQUISA ELEITORAL

O sistema capitalista se toma como a essência da esperteza. Nada lhe impede de lucrar. Onde entra com suas garras, sempre abiscoita uma vantagem monetária, mesmo que seja a mais ínfima. Entretanto, é apenas sapiência exacerbada de si mesmo. Egolatria. Por isso, a todo momento ele vacila e seus pruridos exalam suas fraquezas. É uma brecha que se arreganha e o lucro dança: ele trabalha para o outro, seu maior pavor, e não leva nada.

No momento atual, na campanha eleitoral para prefeito, principalmente, em Manaus, o capitalismo tem mostrado, que em questão do lucro constante, é a maior cascata. Tem trabalhado sem lucrar.

Em tempo de eleições acontece de se manifestarem, no plano da visibilidade, necessárias para que sejam eleitos, dois tipos de candidatos: um, os que já rodaram em outras estradas eleitorais e são mais conhecidos que farinha baguda, e outro, os novos, os que ainda não se tornaram farinha baguda. Daí que em uma pesquisa espontânea de sondagem de opinião eleitoral, quando a empresa pesquisadora pergunta em quem o eleitor vai votar para prefeito, só da os farinhas baguda, os não baguda não aparecem. E se a pesquisa é de amostragem dos nomes dos candidato, dá no mesmo: os bagudas aparecem disparados, e os não bagudas imóveis.

Como a disputa está apenas começando, os bagudas vão ao delírio: já se vêem como Fernando Henrique, sentados no trono um dia antes das eleições para no outro dia perder a prefeitura de São Paulo para o “fi-lo porque qui-lo”, Jânio Quadros. Não percebem que os % não representam a maioria da opinião dos eleitores, mas da memória de alguns. Assim, como as empresas de pesquisas em seus mapas indicadores têm que publicar os nomes de todos os candidatos, aqueles não bagudas passam a ser conhecidos pelos eleitores. É aí que o capitalismo dança: faz propaganda gratuita do não bagudas. No caso específico de Manaus, “bondosamente”, exibem os candidatos não bagudas: Luiz Navarro do PCB, Ricardo Bessa do PSOL e Praciano do PT. E mais ainda, como as pesquisas pretendem ser tomadas como verdadeiras, para serem tidas como necessárias diante da opinião pública, elas são publicadas nos meios de comunicação – quase todos cabos eleitorais dos bagudas. E aí nesse strip-tease marketeiro o capitalismo dança outra vez, agora no ritmo do Can-Can, já que a imagem dos não bagudas são expostas. Significa dizer, que eles passam a ser mais conhecidos. E quem lucra, em cima do prejuízo do capitalismo, é aquele não baguda que tem possibilidade de ser eleito.

No final junta-se o prejuízo do capitalismo – a propaganda gratuita dos não bagudas – com o horário eleitoral nos meios de comunicação e os não bagudas passam a ser a memória dos eleitores que só lembravam dos bagudas. Significar dizer, que os não bagudas podem tornassem memória do eleitor durante quatro anos.

*……….::::: CHAGÃO! :::::……….*

Quien quiera entender como funciona el mundo deberá entender el fútbol”.
Roberto Perfumo (ex-jogador argentino).

CHAGÃO PERGUNTA

O ‘Chagão!’ quer saber: Dos jogadores que imortalizaram a camisa amarela da seleção, de longe é Garrincha o que foi personagem mais comum dos causos que contam por aí até hoje, e fazem parte da história da seleção nacional. Dizem que Garrincha comprou um rádio na Suécia, em 1958, mas teria vendido baratinho a outro jogador, convencido de que, levado ao Brasil, o rádio não teria utilidade, já que só irradiava na língua sueca. Outro episódio famoso foi aquele em que contam que Mané teria chamado a Copa do Mundo de 1958 de “campeonato mixuruca”, por não ter segundo turno. Contam ainda que na estréia do Brasil, contra os russos, Garrincha, ao ver o time adversário entrar em campo, teria afirmado se tratar de um time carioca, enganado pela semelhança do uniforme. Que time era esse?

CONTA OUTRA, LEONOR!

Em tempos de Kakás e Andersons, os profetas do apocalipse futebolístico, a declarar mundo afora que o futebol prescinde da beleza e nada tem a ver com a política, é bom lembrar que houve um tempo em que entrar em campo era somente para os apaixonados pela Leonor. Antes da profissionalização – e da entrada do capital na ordem semiológica do jogo Futebol – o esporte era outro. A alegria não precisava do lusco-fusco das produções midiáticas para se fazer aparecer, pois era real, e não um produto. Talvez haja na Holanda – país que defende o jogo bonito e o desfrutar do jogador – uma relação filosofante com o futebol que nos outros países já não seja encontrada, já que só tardiamente eles profissionalizaram o futebol. De qualquer sorte, o relato abaixo conta a história do tempo em que craque precisava ter córtex cerebral, e sabia que a bola que gira no campo, também gira o mundo. Aproveitando o tema do boicote do meia georgiano Levan Kobiashvilli, que se recusou a usar a camisa do time alemão Schalke 04 numa partida da Champions League pelo patrocínio da estatal russa GazProm, o blogue “Minhas Camisas” traz uma outra história de boicote, mais consciente:

O CAPITÃO DO BI E O PATROCÍNIO DA AURI-NEGRA

Na metade dos anos 50, o Peñarol aceitou um contrato de patrocinador – novidade na época – em suas camisas. Os jogadores ganhariam algum dinheiro também. Obdulio Varela, que em pouco tempo pararia de jogar, se recusou. O Peñarol entrou em campo com dez jogadores patrocinados, mas seu capitão preferiu a velha camisa de sempre”.

Peñarol fue uno de los primeros equipos que tuvo publicidad en la camiseta y él se negó a llevarla. Salían los demás con la publicidad y él, nada. Decía: ‘Ya se acabó el tiempo en que a los negros nos llevaban de una argolla en la nariz’” .

LINHA DE PASSE

A beleza do futebol-mulher braziniquim terá sua prova de fogo na manhã desta segunda-feira, encarando as alemãs na semifinal do torneio olímpico de futebol-mulher. É torcida logo mais por elas! Na outra semifinal, as estadunidenses vão encarar as japonesas pela outra vaga. Na disputa pela vaga, contra as norueguesas, o Brasil atacou desde o início, enquanto as nórdicas preferiram aguardar. O plano quase deu certo. Não fosse o pelotaço de Daniela Alves que venceu a goleira Skarbo aos 44 do primeiro tempo, e o jogo iria para o intervalo sem gols. No segundo tempo, Marta pertubou a zaga da Noruega, e aos 12 minutos fez o segundo gol do Brasil. Não restava à Noruega senão atacar, e aos 36 minutos, num penal cometido pela goleira Bárbara, Siri Nordby converteu e diminuiu, dando números finais ao placar.

* * *

Já no masculino, teremos o jogo dos inertes: para muitos, a final antecipada. Para quem sabe observar o futebol, um jogo que está fadado a não acontecer. Se antes Brasil e Argentina se encaravam para ver quem era o melhor, hoje lutam para ver qual dos times joga pior. O jogo do Brasil contra Camarões foi de uma feiúra com a qual poucas partidas na história podem rivalizar. A Argentina encarou os holandeses, e salvou-se em duas jogadas de Messi, uma concluída por ele mesmo, a outra, no apagar das luzes do primeiro tempo extra, um lançamento preciso para o half Di Maria completar de rabeada na pelota. Na manhã desta terça-feira saberemos qual dos dois sobreviverá a este embate titânico, onde a beleza do futebol é a única vítima até o momento. Na outra semifinal, Nigéria e Bélgica se encaram. A Bélgica surpreendeu e superou os até-então favoritos italianos. Que vença o pior!

* * *

Valdívia finalmente se foi do Palmeiras. Não para a Espanha, como desejava. Vai, na contramão da trajetória dos sistema de valores que domina o futebusiness mundial, para o Oriente Médio. Em geral, naquela direção vão jogadores em final de temporada ou que não estão conseguindo acompanhar o ritmo dos campeonatos mais competitivos. Assim, ao menos, pensa a imprensa esportiva. Mas há algo que eles não observam do futebol para ricos & famosos de Dubai e redondezas: os sheiks adoram uma exibição do futebol espetáculo. Não por acaso, a maior parte dos jogadores que para lá vão são brasileiros em final de carreira. À exceção de alguns times que pretendem projeção mundial, a maior parte quer mesmo é ver o brilho das jogadas intempestivas. Quem sabe lá, sem o militarismo autoritário de Wanderley Luxemburgo, el Mago possa desembainhar a sua varinha de condão e encher os olhos dos árabes com passes geniais, lançamentos, dribles, os falsos chutes, e possa novamente entrar em campo para ser feliz.

* * *

Boca Jrs e Barcelona fizeram um jogo amistoso, valendo o troféu Joan Gamper (jogo de abertura do time na temporada, onde tradicionalmente se exibe o belo futebol do clube azul-grená, quando o tem, e leva o nome do fundador do clube). Nenhuma beleza no entanto nesta partida. Com o time que tem o Boca, e mais as inúmeras trocas e experiências do novo técnico catalão, Pep Guardiola, o jogo foi uma decepção para quem foi ver seu time se apresentar para a nova temporada. No entanto, os últimos dez minutos foram os de um Barça ativo e buscando a vitória, sufocando o Boca em sua própria área. Final da peleja: 2 a 1 para os locais, de virada, com gols de Viatri (Boca, 27 do 2T), Puyol e Eto’o (Barcelona, 47 e 50 do 2T). Pior para os xeneizes, que ainda foram “depenados” no hotel onde ficaram.

* * *

Já na abertura da temporada espanhola, Real Madrid (campeão da Liga) e Valência (campeão da Copa D’El Rey) fizeram a partida de ida da Supercopa da Espanha. Robinho, para fazer as pazes com a torcida merengue – ressabiada pelas pressões “cristiano ronaldianas” do ex-santista para trocar o atual clube pelo Chelsea – avisou que faria dois gols, e o Real achou que iria atropelar os adversários. Quem fez mesmo dois gols foi o holandês Van Nistelrooy. Só que o Valência fez três, com Mata, Villa e Vicente, e levou a vantagem do empate para o Bernabeu

* * *

Uma ilustração do grau de discernimento da nossa imprensa esportiva: como noticiado no final da semana passada, a mídia estadunidense “manipulou” o quadro de medalhas das olimpíadas de modo a colocar o país no topo da classificação, já que desde o primeiro dia, pela contagem oficial, eles estão perdendo para a China. Para o jornalista Juca Kfouri, considerado consciência esclarecida do jornalismo esportivo braziniquim, o problema está no critério adotado pelo COI, que absolutiza os pesos das medalhas, sendo as de prata e bronze pesos relativos de desempate, e a de ouro, a que realmente conta na classificação. Nem precisa ir até a Grécia para mostrar que as medalhas são uma criação da sociedade de consumo. Na sociedade de consumo, os EUA são mestres. Sempre lideraram e levaram vantagem, mesmo quando o quadro de medalhas era campo de batalha da Guerra Fria. Mas todo mestre um dia encontra seu mestre. Diante de uma China até aqui imbatível, os americanos não tiveram outra alternativa além de “mudar” as regras do jogo. Na lógica do hiper-real vale tudo, até mudar a “realidade” para que ela continue a mesma. Há quem tome o hiper-real pelo real, talvez nem mesmo parte da opinião pública estadunidense acredite na manipulação bushista dos resultados, mas Juca acreditou. E comprou a falsa briga.

* * *

E o episódio do jogo armado entre o Toledo (PR) e o Marcílio Dias (SC) foi julgado pelo STJD. Os clubes terão de repetir os jogos do grupo, e ainda foram multados. Mas a decisão à Lá Gilmar Mendes do STJD foi a punição ao jogador Rafinha, que usou o argumento do “pai de família” para justificar a pataquada: banido do futebol. Mais um caso onde se pune o criminoso, mas quem vai preso é o denunciante. Dois equívocos da justiça. Um temporal (não se pode repetir um acontecimento, ainda que seja uma partida de futebol “viciada”) e outro de miopia judicativa: o juiz mirou no alvo e acertou a espingarda.

CAMPEONATOS NACIONAIS

Brasileirão Série A 2008

Brasileirão Série A 2008

O Grêmio fez a sua parte e venceu, no clássico dos tricolores, repetindo o placar da primeira rodada. O Palmeiras manteve a escrita de que em casa ele canta de galo. Dos cariocas, só o Botafogo pode sorrir de orelha a orelha, agora no G-4. O Internacional conseguiu a proeza de perder de 4 para o Vasco, enquanto o Fluminense, na estréia de Cuca, ex-Botafogo e ex-Santos, ganhou e está a um passo de deixar a zona de rebaixamento Tudo isso na primeira rodada do returno do Brasileirão Série A 2008. Na artilharia, Kléber Pereira (Santos) tem 13 gols e é o novo artilheiro isolado do certame. Resultados:

20ª Rodada Série A – 16 e 17/08

Atlético/PR 5 – 0 Ipatinga

Cruzeiro 2 – 1 Vitória

Figueirense 2 – 1 Portuguesa

Vasco 4 – 0 Internacional

Grêmio 1 – 0 São Paulo

Goiás 3 – 0 Náutico

Santos 2 – 2 Flamengo

Palmeiras 1 – 0 Coritiba

Fluminense 1 – 0 Atlético/MG

Sport Recife 0 – 1 Botafogo

Classificação*

Grêmio  -  44

Cruzeiro  -  39

Palmeiras  -  37

Botafogo  -  34

São Paulo  -  33

Vitória  -  32

Flamengo  -  32

Coritiba  - 32

Figueirense  -  28

Sport Recife  -  27

Goiás  -  26

Internacional  -  26

Atlético/MG  -  24

Atlético/PR  -  23

Vasco  -  22

Portuguesa  -  22

Náutico  -  21

Fluminense  -  19

Santos  -  18

Ipatinga  -  16

* Em azul, os classificados para a Libertadores ’09; em verde, os classificados para a Sulamericana ’09, e em vermelho, os rebaixados para a série B.

* * *

Brasileirão Série B 2008

Brasileirão Série B 2008

O Corinthians abre quatro pontos e é campeão simbólico do primeiro turno da Série B do Brasileirão 2008. Mas o time suou para vencer o fraco América de Natal. Seus perseguidores, Avaí e Vila Nova perderam pontos. Pior para o time do centro-oeste, que saiu do G-4. Na artilharia, Túlio Maravilha continua com seus 16 gols, no monótono certame. Confira os resultados:

19ª Rodada Série B – 15 e 16/08

Paraná Clube 0 – 1 Santo André

Bahia 2 – 2 Gama

São Caetano 3 – 3 Avaí

Ceará 3 – 2 Marília

Barueri 4 – 0 Juventude

ABC 1 – 0 CRB

Corinthians 2- 0 América/RN

Brasiliense 0 – 0 Fortaleza

Criciúma 0 – 3 Ponte Preta

Bragantino 2 – 1 Vila Nova

Classificação*

Corinthians  -  39

Avaí  -  35

Santo André  -  33

Ponte Preta  -  32

Vila Nova  -  32

Barueri  -  30

Ceará  -  29

Bahia  -  29

Juventude  -  28

São Caetano  -  27

Bragantino  -  27

ABC/RN  -  26

Gama  -  24

Marília  -  23

Criciúma  -  22

Fortaleza  -  20

América/RN  -  20

Paraná Clube  -  17

Brasiliense  -  13

CRB  -  12

* Em roxo, os classificados para a Série A do Brasileirão ‘09; em cinza, os rebaixados para a série C.

* * *

Na Série C do Brasileirão, mais uma rodada, e fica cada vez mais distante o sonho de um representante amazonense na próxima fase. O time do Holanda perdeu por 4 a 2 para o Rio Branco (AC). Não depende mais de si próprio para se classificar. Já o Clube do Remo empatou em 1 a 1 com o Luverdense (MT), em casa, mas está confortável na segunda posição do grupo 17. Águia de Marabá e Paysandu praticamente se garantiram na próxima fase, respectivamente primeiro e segundo do grupo 18. O Águia triturou o Picos (PI), 6 a 1, enquanto que o Papão empatou em 1 a 1 com o Sampaio Corrêa (MA) fora de casa. O próximo jogo dos laranjas jaraquis é em Belém contra o Remo. Perdendo ou empatando, está fora do certame. O jogo ainda não tem data definida.

CAMPEONATOS AMÉRICA DO SUL

O Tigre, hexacampeão da segundona portenha, lidera o Apertura Argentino 2008. Enquanto o Boca retorna da Espanha, seu rival, Newell’s Old Boys espera a chance de, em casa, também liderar. Se os xeneizes vencerem, também vão ao primeiro lugar. O jogo é na próxima quarta-feira, na ressaca ou na euforia da semifinal olímpica. As surpresas da primeira rodada, Godoy Cruz e San Martín de Tucumán decepcionaram e perderam. Resultados da segunda rodada:

02ª Fecha Apertura’08 – 15 a 17/08

Estudiantes 2 – 2 Banfield

Independiente 1 – 0 San Martín (T)

Argentinos 4 – 1 Vélez

Tigre 2 – 1 Arsenal

Gimnasia Jujuy 1 – 4 Colón

Godoy Cruz 1 – 2 San Lorenzo

Lanús 1 – 1 Gimnasia La Plata

River 2 – 0 Rosario Central

Huracán 1 – 0 Racing Club

Newell’s – Boca Jrs

Classificação*

Tigre  -  06

Colón  -  04

River Plate  -  04

Lanús  -  04

Independiente  -  04

Boca Juniors  -  03

Arsenal  -  03

San Martín (T)  -  03

Newell’s Old Boys  -  03

Argentinos Juniors  -  03

Godoy Cruz  -  03

San Lorenzo  -  03

Rosario Central  -  03

Huracán  -  03

Estudiantes La Plata  -  01

Banfield  -  01

Gimnasia La Plata  -  01

Vélez Sarsfield  -  01

Racing Club  -  00

Gimnasia Jujuy  -  00

CAMPEONATOS EUROPEUS

Ligue 1 Temporada 2008-2009: segunda rodada, e a liderança é do Grenoble, único time com duas vitórias em dois jogos. Em casa, despacharam o Rennes por 1 a 0. Lorient e Lyonnais, respectivamente segundo e terceiro, ficaram num empate sem gols, na casa do time com escudo de peixe. Marseille e Monaco completam os cinco primeiros.

* * *

E na terra da cerveja, da primeira-ministra cristã, do Rammstein, Marx, Nietszche e Rummenigge, começa a Bundesliga 2008-2009! E já na primeira rodada, os atuais campeões, os bávaros do Bayern Munique quedam-se em décimo lugar, graças a um empate em casa, por 2 a 2, com o Hamburger SV. Quem lidera o certame, com uma vitória por 3 a 0 sobre o Energie Cottbus, é o 1899 Hoffenheim.

* * *

Abrem-se as cortinas para o desfile de estrelas da liga mais rica do mundo. Diretamente da terra de David Hume, John Locke, Oscar Wilde, Shakespeare e da seleção que não foi à Euro 2008, vem aí a Premier League 2008-2009! E na primeira rodada, o atual campeão, Manchester United, saiu perdendo em casa para o Newcastle, mas empatou e ficou nisso. Amarga um mediano 13o lugar. O líder é o Chelsea, time mais antipático da liga, que trocou Mourinho por Felipão, na ilusão de montar um time que jogue bonito. Ilusões inalcançáveis à parte, o time goleou por 4 a 0 o Portsmouth, com boa atuação de Deco, que marcou o quarto tento. E os tigres do Hull City, recém promovido à Premier, começou bem, vencendo em casa o Fullham, 1 a 0.

!!!!! O MUNDO É GAY !!!!!

A AIDS COMO DOENÇA DA SOCIEDADE (MAIS…)

Na outra edição desta colunéeeeesima conversamos sobre o encerramento da Conferência Mundial da UNAIDS, na Cidade do México. Também rolou um papo sobre alguns equívocos no entendimento da AIDS como uma simples doença, já que ela evidencia uma sociedade estratificada, no sentido de que a moral e o modo de existir na sociedade de consumo produzem “nichos” de disseminação e de produção da epidemia, e que eles sim, são a causa, e não efeito da contaminação massiva pelo HIV.

Esta semana, outra informação chamou a atenção do público LGBT: dados da UNAIDS, de 2006, mostram que menos de 1% do investimento no combate ao vírus HIV é usado para prevenção em homens que fazem sexo com outros homens. A razão principal? Lógico, a homofobia.

Segundo Craig McClure, diretor-executivo da Sociedade Internacional de AIDS, “é muito difícil prestar serviços aos homens gays nos países que não reconhecem a prática do sexo homossexual”.

Ban Ki-Moon, secretário geral da ONU, na conferência da UNAIDS, falou em Educação, Comunicação Social e movimentos sociais para disseminar a diversidade e enfraquecer o preconceito.

Mais do que evidenciar que a homofobia institucional mata tanto ou mais que a entendida como individual, os dados mostram que ainda há muito a fazer neste campo.

Se um homoerótico vai a um posto de saúde em Manaus, ou qualquer cidade do país, e o médico olha de esguelha, toca com receio o corpo na hora do exame, ou insiste em tratar a pessoa pela sua denominação sexual biológica e não social, falamos em homofobia institucional ou individual?

Embora existam médicos e profissionais da saúde pública que teriam este comportamento fóbico (sociofóbico?) com qualquer paciente, independente da orientação erótica, fica claro o desconforto e o desestímulo a que homoeróticos, principalmente jovens, continuem ou mesmo iniciem tratamento ou adiram à práticas de prevenção.

A diferença entre institucional e individual pode ser importante no aspecto legal. Uma vez que o médico é, naquele momento, um agente público, ele corporifica o Estado, e portanto, é instituição. Mas com as recentes leis que buscam diminuir a homofobia no atendimento público de saúde (e que você, compadre e comadre desta colunéeeeesima, tá por dentro), de onde vem a causa da homofobia?

Da mesma maneira que a prevenção ao uso abusivo de substâncias tóxicas (as chamadas drogas) não passa apenas pela moralidade ou pelo discurso do amedrontamento, o combate à homofobia não pode se reduzir ao âmbito legal, mas tem que transbordar na cultura, em todas as produções humanas. Passar da intolerância não para a tolerância, mas para a convivência desejante, querer a diferença, entendê-la como necessária à produção de linhas de comunalidade e aumento da potência social de existir.

Ui! E agora vamos ver outros sopros gayzísticos (ou não) que passaram no nosso Mundico!

Φ ATENÇÃO, MENINOS, TEM VACINA CONTRA A RUBÉOLA. Pra quem gosta de recordes, em tempos de olimpíadas que nada têm a ver com as Olympiadas gregas, trata-se da maior campanha de vacinação que já se fez no mundo. O objetivo é imunizar a população brasileira – principalmente a masculina – contra a rubéola. Nos anos anteriores, as campanhas eram mais focadas na população feminina e infantil, mas a incidência da doença em homens fez com que a campanha atual focasse nos machinhos-machinhos que se revelam na hora da vacina. Revelam-se uns medrosos, claro. Nada a ver com o homoerotismo, que não se esconde. Mas a estes que temem a agulha e a picada, um alento: a vacina é subcutânea, e não intra-muscular, portanto, dói menos que um beliscão, ou como diria aquela enfermeira, dói menos do que ficar doente. É só procurar as unidades básicas de saúde (postos e casinhas), ou os comitês em escolas, igrejas e centros comunitários. Tu já foste, Rubeolnita? Sentiu a brisa, Neném?

Φ JUSTIÇA MANDA UFF REGISTRAR DEPENDENTE HOMO. O servidor federal Luiz Carlos da Gama Bentes, da Universidade Federal Fluminense, garantiu esta semana, através da 2a Vara Federal de Niterói, o direito de incluir como dependente previdenciário o seu companheiro, o cabeleireiro Juarez Manoel Ferreira. O casal vive junto há 18 anos, e desde o ano passado, tem um contrato de união civil estável. No seu despacho, o juiz Fábio de Souza escreveu: “o conceito de família não pode ser interpretado de modo restritivo, sendo inviável incluir em seu conteúdo apenas as opções das maiorias. Ao contrário, faz-se mister lançar um olhar de alteridade, reconhecendo-se a diversidade social e tutelando todas as estruturas familiares, mesmo aquelas eleitas por minorias”. Gostou, Gervásia? Só não vale utilizar o conceito de famílias a partir dos mesmos vícios burgueses das buonnas famiglias hetero, com suas trincheiras e guerras emocionais que atravessam gerações. Aí é marcação de touca, Argemira! Sentiu a brisa, Neném?

Φ MILITARES IMPEDIDOS DE PARTICIPAR DA PARADA GAY DE AMSTERDAM. Na semana passada, todas as monas sentiram o gostinho da parada gay de uma das cidades onde a homofilia é mais intensa. Esta semana, militares manifestaram descontentamento em terem sido impedidos de participar. Pertencentes ao Exército da Holanda, os militares enviaram comunicado aos seus superiores questionando as razões da não-permissão de participar no desfile, já que o governo holandês é pró-diversidade e as forças armadas são favoráveis ao alistamento de homoeróticos. Não é que eles tenham sido proibidos de participar: mas, assim como a polícia local abriu o desfile uniformizada (ou seja, participou institucionalmente), os militares queriam também marcar presença da corporação no desfile, e não apenas como cidadãos comuns. Nada de inveja da política desejante dos Oranges, menin@s. Um dia, com muita luta, alegria, humor e brisas gays, as Forças Armadas braziniquins chegam lá! Sentiu a brisa, Neném?

Beijucas, até a próxima, e lembrem-se, menin@s:

FAÇA O MUNDO GAY!

MAROCAGEM ELEITORAL

Qualquer semelhança de tipos vivos com as marocas não é mera coincidência

A democracia é um jogo. Não um jogo com leis pré-estabelecidas que privilegiam os produtores das regras e seus executadores. A democracia é um jogo porque está em contínua criação de novos saberes e dizeres como movimento político/Ético/estético fundamentais à sociedade dos amigos.

O filósofo Schiler dizia que “homem só é plenamente homem quando joga”. O filósofo Sartre apanhou seu dizer e completou: “Quando ele é princípio e não conseqüência”. Daí que, como jogo, a democracia é sempre princípio e não conseqüência. Tudo que os tiranos, com suas leis e seus juízes, não pretendem. E é tudo o que a marocagem pretende com seus diálogos virtuais ou reais: contribuir para construção de uma democracia que joga. Entre nesse, jogo mande suas marocagens.

O JOGO DE ÚNICO RESULTADO

Cleuda, tu sabe qual o único jogo que o mesmo time é sempre vitorioso?

Não.

O jogo da democracia.

É mesmo, é? E se outro time sair vitorioso?

Aí já não é mais jogo democrático. É tirania.

MANAUS FORA DE MANAUS

Tu já escolheu em quem tu vai votar para prefeito?

Vou votar no candidato que fizer lugares tão maravilhosos que quando eu entrar eu sinta que não estou em Manaus.

Ah, já vi que pela primeira vez vamos votar em candidato diferente. Eu adoro Manaus.

A MULHER MAIS BONITA

O que aconteceu contigo, tá tão alegre, parece a pessoa mais importante do mundo?

E não é pra menos, Valval. E não é que hoje vinte e dois homens me chamaram de linda princesa.

Verdade? E eles eram príncipes?

Não, menina! Eram candidatos.

TÁ LEMBRADO DE MIM?

O candidato chegou no bairro, caminhou sorridente, abraçou um, dois três, quatro, quando chegou no quinto, o quinto perguntou:

Doutor, tá lembrado de mim?

O candidato, acreditando ser um eleitor, não vacilou, tentando cascatear:

O senhor é aquele meu fiel eleitor, que em todas eleições…

O quinto, cortando, afirmou convicto:

Não, doutor, eu não sou aquele fiel eleitor. Eu sou aquele eleitor que o senhor com seus capangas, na eleição passada, entrou na minha casa, pegou os números dos títulos de toda minha família e disse que se a gente não votasse no senhor, a gente ia ver o cão. O senhor ia armar uma para nós — o doutor, no meio do povo, sorriu amarelo, que não passava um milhão de rolos de arame farpados e quatrocentas manadas de porcos espinhos—. Pois é. Eu não votei no senhor, e ninguém da minha família. E se o senhor gosta de sua democracia, é melhor o senhor sair agora daqui, se não quem vai armar uma pru senhor somos nós.

AS PROMESSAS E O CÉU

É verdade que, quanto mais promessa, maior é certeza de se ir para o céu?

Claro que é verdade! Tu é ateu, é?

Não. Mas como é que todo tempo de eleição estes caras fazem tantas promessas e continuam aqui na terra?

O FUTURO SEM PRESENTE

O candidato entre o povo.

Meu programa é fazer com que o jovem tenha um futuro garantido.

Jovem:

Doutor, o que nós queremos é garantir o presente. O futuro nós construímos.

A PESQUISA E A TORCIDA

Que cara é esta, meu? Parece até que teu candidato já perdeu.

E não é pra ficar com essa cara? Viu o resultado daquela pesquisa? Já perdemos.

Deixa de ser otário! Pesquisa é como torcida: não ganha jogo. Se torcida ganhasse jogo, teu time tava no primeiro lugar no Brasileirão.

É verdade. Pesquisa é como torcida antes do jogo: se enche de ilusão.

i iNDA TEM FRANÇÊiS Qi DiZ Qi A GENTi NUM SEMO SERO

@ DIANTE DA AFIRMAÇÃO DE FERNANDO HENRIQUE de que o próximo presidente vai ter “muitíssimas dificuldades” em governar o Brasil caso o atual governo continue “sem prestar atenção no que vai acontecer lá na frente”, não fôssemos sérios franceses, apenas daríamos uma gargalhada. Para quem começou a tecer suas peripécias ainda como ministro da Fazenda do governo Itamar Franco, quando formulou um fantasioso Real quem em nada tem a ver com a realização Real do governo Lula —, e quebrou o país economicamente por três vezes. E quando um país, da forma como gira o mundo na atualidade, quebra economicamente, a falência é principalmente no campo social, com o aumento do desemprego, cresce a ineficiência de todos os serviços públicos. Havia quem dissesse que não tinha Lula que desse um jeito. E hoje, em todos os campos — econômicos, sociais e políticos —, alguns até taxam de repetição quando Lula começa seus discursos dizendo “nunca antes na história do Brasil…”. Não é repetição; é a afirmação dos incessantes avanços democráticos. Se, apesar da quebradeira passada, o governo Lula avança por todos os áporos, a probabilidade que o Brasil quebre só existe se o próximo presidente for espistemologicamente reduzido e politicamente néscio. A não ser que Fernando Henrique queira dizer que o próximo presidente será um de seus correligionários. Aí já é uma hilariante anedota, e não tem mais francês que resista. I inda tem françêis…

@ VISTO DE ENTRADA E POLICIAL BRITÂNCICO no aeroporto brasileiro é o novo aparato da paranóia para poder-se visitar o Reino Unido (Inglaterra, a Escócia, a Irlanda do Norte e o País de Gales). São medidas que o governo britânico vai tentando impor como recrudescimento enquanto sociedade de controle. O visto de entrada já é usado em mais de 100 países (mais de 75% da população mundial) e teria acrescentados à lista, além de Brasil, Bolívia, Botsuana, Lesoto, Malásia, Ilhas Maurício, Namíbia, África do Sul, Suazilândia, Trinidad e Tobago e Venezuela. A presença do oficial britânico, que o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, tratou logo de avaliá-lo como “inaceitável”, existe já em 30 países. Com tais medidas talvez a Scotland Yard elimine logo os terroristas em potencial logo na alfândega dos outros países, para que não os assassine em seu próprio solo, como ocorreu com o jovem Jean Charles, em 2005, confundido com um homem-bomba árabe pela “melhor” polícia do mundo. I inda tem françêis…

@ MDA DESTINA R$ 72,2 milhões PARA OS AGRICULTORES FAMILIARES NO AMAZONAS, a partir do Plano Safra 2008/09. É o Ministério do Desenvolvimento Agrícola trabalhando para resolver problemas que atravessaram o Amazonas durante toda a sua história após os genocídios indígenas; passando pelo óbvio fracasso econômico da monocultura da borracha (1º e 2º surtos); pelo paternalismo político de prefeitos e governadores, que distribuíam um motosserra para um agricultor, muitas vezes analfabeto, que pediu para um primo da mãe de um compadre seu, que mora na capital, escrever uma enternecida cartinha para o político; a estes se seguiram os projetos mirabolantes, como o chamado 3º Ciclo, de quando Amazonino Mendes era governador. Como o suposto rompimento deste com o herdeiro político, Eduardo Braga, a política do estado em relação à agricultura, não só na falta de incentivos e planos governamentais, mas também no que diz respeito ao escoamento da produção. É o que reclamam os agricultores familiares do Amazonas. O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, além de anunciar a verba para a produção, defendeu também a criação de algumas outras medidas para o problema do escoamento. Ainda hoje nos interiores do Amazonas, enquanto estes franceses vão seriamente nesta madrugada pelas infovias, uma criança tenta dormir junto à caixa de máquinas de uma pequena embarcação, depois de horas com um alqueire de farinha nas costas. Uma criança tem as costas muito largas, às vezes cabe uma história inteira de falaciosos governos. I inda tem françêis…

@ MICKEY MOUSE E BRANCA DE NEVE REIVIDICAM MELHORAS TRABALHISTAS. Funcionários dos hotéis Paradise Pier, Grand Californian e Disneyland Hotel, todos propriedades da Disney, alguns vestidos de personagens conhecidos do imaginário infantilizado do complexo de entretenimento, no último dia 14, fizeram uma manifestação onde reivindicavam melhoras para a situação trabalhista em que atualmente se encontram. Os funcionários criticavam uma oferta da Disney na qual o seguro médico não seria contemplado como um direito para os trabalhadores e uma divisão dos salários em duas categorias que geraria desigualdade salarial entre os empregados. Entre as várias pessoas participantes da manifestação, Mickey Mouse e Branca de Neve foram presas. É óbvio que não foram os seres imaginários antropomorfizados. Mas pessoas reais, conscientes de suas necessidades existenciais, que somente em uma realidade não democrática são desrespeitadas. Mas em um país como os EUA, onde o presidente é o primeiro a instituir a ilusão como forma de governo, invocando Deus, a pátria e a paz, para justificar invasões em países com nítidos interesses econômicos, a própria democracia deixa de ser uma potência do povo para se constituir como uma farsa ilusória. Daí o fato de se querer conservar o imaginário infantilizado antropormórfico da Disney em vez de respeitar as produções sociais das pessoas reais através de seus trabalhos. I inda tem françêis…

@ EUA INVENTA PRÓPRIO CRITÉRIO DE CONTAGEM DAS MEDALHAS OLÍMPICAS. Os jornais New York Times, Los Angeles Times e outros meios de comunicação nos Estados Unidos alteraram a forma de contagem oficial de medalhas nas Olimpíadas 2008 com o objetivo de aparecerem na frente da China e dos outros países inseridos na competição. Pelo critério oficial, são as medalhas de ouro ganhas que determinam o país que está na frente. Na contagem oficial, a China está com 43 medalhas, sendo 27 de ouro e os EUA com 48, sendo 15 de ouro. Pela classificação oficial das olimpíadas é a China que está liderando. Contudo, os EUA, desrespeitando o critério oficial de contagem, colocaram-se na frente, inventando seu próprio critério, onde o que conta é a soma total de medalhas e não a soma das medalhas de ouro. Isto evidencia o complexo de inferioridade deste país, próprio da subjetividade capitalística, donde não importa que meios terão que ser usados para conseguir o tão almejado primeiro lugar. O que importa é a idéia vazia do se dar bem sempre. E é esta mesma idéia vazia que leva estudantes a matarem colegas de escolas e cometerem suicídios, ao presidente não admitir crises econômicas e manter uma população inteira refém de uma existência vazia, onde o que vale é o dinheiro e a obrigatoriedade de competir para ganhar, não importando as trapaças, ações irracionais e a desonestidade a serem usadas. I inda tem françêis…

@ DEM É A FAVOR DA ESCRAVIDÃO. É o que salta à percepção quando verificamos que a PEC do trabalho escravo (proposta de emenda constitucional 438/2001), onde é prevista o confisco para a reforma agrária de terras onde for comprovado o trabalho escravo, foi retirada, em última hora, pelo DEM, da pauta para votação durante o calendário eleitoral. A PEC 438/2001 já foi aprovada no senado e já há tempos tramita na Câmara. Tal atitude do DEM deixa claro o porquê deles insistirem em se manter como falsa oposição ao governo Lula. Agindo contra propostas que se empenham na preservação da vida e da liberdade do povo, o DEM, apenas evidenciam suas limitações afetivas e cognitivas, o que deixa claro que não podem apresentar opiniões autônomas que estabeleçam uma tese contrária às ações do Governo Lula, gerador de novas percepções no povo. Estão presos à lógica capitalista, onde o que menos interessa é fazer com que o povo, livre, movimente suas próprias falas e suas próprias ações. O DEM evidencia suas preferências pela escravidão. E assim jamais alcançarão a suavidade afetiva e cognitiva do Governo Lula, uma vez que quer o povo tal qual eles: sem autonomia e presos aos ditames do capitalismo. Quem não concordar com esta limitação do DEM pode entrar no Blog do Sakamoto e assinar um abaixo assinado que será enviado ao Congresso Nacional para agilizar a PEC do trabalho escravo.

@ PROFESSORES PODERÃO DAR AULAS ARMADOS numa escola do Texas. Para os descuidados com entendimentos filo-educacionais, armas são só as materiais de fato (um revólver, uma faca, um cacetete, etc). Não percebem que inúmeros objetos podem ser utilizados como arma. Para grande parte de professores, a pajela, a mesa, o livro podem ser usados para dissipar existências, eliminando a vivacidade do aluno. Além disso, o grito, o erro marcado, o controle do corpo, da voz, das idéias são letais para a totalidade do aluno. Alguns professores defenderam o uso de armas pelo aumento de crimes com armas de fogo quando elas entraram em processo de proibição nas escolas americanas. Está certo. Numa sociedade que potencializa seus indivíduos como potenciais assassinos em nome de uma “defesa pessoal”, a escola, como principal pilar das concepções de formação dessa sociedade, sempre está armada, com ou sem revólver. Agora educação, pensamento, inteligência não passam por aí. I inda tem françêis…

Vamos que vamos

Que quem já foi já saiu

E quem não foi não chegou

Aonde todos achavam que iam…

MDS PROMOVE CONCURSO

O Diário Oficial da União publicou, hoje, dia 15, edital de processo seletivo simplificado com contrato temporário para nível superior promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Social. A data das inscrições começarão no dia 20, quarta-feira, e irão até 9 de setembro. As avaliações contarão de provas objetivas e curriculares, sob a execução do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília – CESPE.

Dependendo do cargo que os candidatos optarem, a taxa de inscrição será de R$ 70 e 90 reais. A jornada de trabalho será de 40 horas. E os salários dependerão, também, dos cargos dos aprovados, que vai de R$3,8 mil a R$ 8,3 mil.

Então, moçada… Dia 20, “pernas para que te quero”! Chegar na hora certa para realizar as inscrições.

De nossa parte, se torcida ajudar, ficaremos torcendo por vocês, moçada!


USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Quer linha de corte? Este é esquizo. Acesse:

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Efeitos Justos para Suas Causas.
ADVOGADO ARNALDO TRIBUZY - RUA COMENDADOR CLEMENTINO, 379, SALA C (8114-5043 / 3234-6084).

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Frente Blogueira LGBT

Outras Comunalidades

   

Categorias

Blog Stats

  • 3,165,589 hits

Páginas


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 181 outros seguidores